Conexão Lia Nagel

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Os perigos das redes sociais: vulnerabilidades da internet









As redes sociais são partilhadas diariamente por milhões de pessoas em todo o mundo.
Quais são os perigos de perda de privacidade?
Qual a sua segurança?
Como proteger os nossos filhos?

Perigosredessociais Os perigos das redes sociais






O número de internautas portugueses que faz uma utilização regular de serviços como o Facebook, Hi5 ou MySpace é agora de 2.057.000, o que corresponde a 24,8 por cento do total da população nacional com 15 anos ou mais, refere a Marktest.





A rede social mais usada em Portugal é o Facebook (22,5 % dos internautas nacionais), seguido do Hi5 (13,6%).

O Facebook já atingiu o impressionante numero de 400 milhões de utilizadores em todo o mundo, sendo que a Internet é utilizada por 2 mil milhões de pessoas.


Crianças. um alvo fácil.

Um quinto das crianças com perfil público deixa visíveis a morada ou o número de telefone


Um quarto das crianças registadas em redes sociais como o Facebook ou o Hi5 definiram o seu perfil como público: ou seja, os seus dados de perfil podem ser vistos por qualquer pessoa que clique no seu nome na rede. Um quinto dessas crianças cujo perfil está publicamente disponível indica mesmo dados tão privados como a sua morada e o seu número de telefone.



As crianças e adolescentes estão particularmente vulneráveis aos perigos das redes sociais. Apesar de estas constituírem uma ferramenta interessante para fazer amigos, existem quatro grandes perigos para os nossos filhos:


1º perigo: ser vítima de um predador sexual.

2º perigo: assédio por parte de outras crianças.
3º perigo: roubo de identidade.
4º perigo: passar demasiado tempo nas redes.

Perigosredessociais3 Os perigos das redes sociais






Ser vítima de um predador sexual.



Esse perigo existe, mas não deve ser exagerado. O risco de encontrar um pedófilo na Internet não é maior do que à saída da escola. Aliás 95% dos abusos sexuais em crianças têm origem no seu circulo familiar. Mas esse perigo existe.

Assédio por parte de outras crianças.



As mensagens e imagens partilhadas nas redes sociais permitem que estas sejam muitas vezes utilizadas para insultar um determinado participante ou enviar fotos obscenas.



Roubo de identidade.



Aqui existem vários graus. O primeiro é o roubo de uma fotografia que uma vez recuperada numa rede social pode ser modificada e utilizada para outro fim. O segundo é o roubo da identidade de uma pessoa e a ulterior criação de uma falsa identidade com a pessoa roubada.



Passar demasiado tempo nas redes.



Como qualquer jogo de vídeo, as redes sociais também absorvem muito tempo. Estas podem fazer com que as crianças passem demasiado tempo nelas e assim reduzirem o tempo despendido para os trabalhos de casa e sobretudo reduzir a sua capacidade imaginativa.








Como se proteger?




Pedofilia:



Ter um cuidado o máximo em manter a confidencialidade, por exemplo impedindo que quem não faça parte de rede de amigos não tenha acesso aos seus dados.

Assédio:



Não hesitar em fazer compreender ao seu interlocutor que ultrapassou os limites, e se este não parar, retira-lo da sua lista de amigos.

Roubo de identidade:





Não hesitar, de tempos a tempos, pesquisar nos vários motores de busca o seu próprio nome para ver qual o tipo de informação que circula na Internet sobre si.


Compete aos país vigiar discretamente o que os seus filhos andam a fazer na Internet. Mas o mais importante é ter um dialogo permanente com os seus filhos e preveni-los dos perigos que podem encontrar. Explicar às crianças que não devem revelar informações que permitam identifica-los ou localizar-los Não fornecer moradas ou telefones, claro, mas também não revelar por exemplo o clube de desporto em que treina.

Pedir aos seus filhos a password de acesso à rede social na qual ele participa. Se este recusar, os país devem ir de vez em quando a essa rede social, colocar o nome do filho e tentar ver as informações que aí se trocam, algumas são acessíveis a qualquer pessoa.

Muitos país têm medo que a Internet seja para os seus filhos como uma droga e uma fuga à realidade, mas não é bem assim. A maioria dos pedopsiquiatras confirmam que a grande maioria das crianças não confunde a realidade com o virtual.






Privacidade e segurança nas redes sociais.



No caso das redes sociais, aqui ficam algumas recomendações sobre privacidade/segurança em redes sociais. Nem todas se aplicam em todos os casos, mas aqui ficam alguns desses mesmos conselhos:
  • Se usar um sistema operativo Windows, deve usar um antivírus, que consiga detectar ameaças na Web e que funcione igualmente como firewall e anti-spyware;
  • Cuidado com a informação que partilha e com quem assim como com os conteúdos que coloca nas redes sociais
  • Reveja as politicas de partilhas e âmbito das mesmas no Facebook;
  • Nunca revelar informação pessoal (detalhes de morada, etc.) ou de negócio através de redes sociais;
  • Cuidado com fotos e outros conteúdos que se colocam nas redes sociais – o que é giro hoje pode ser comprometedor no futuro;
  • Desconfiar sempre dos links e outras mensagens que sejam partilhados por “amigos” conhecidos e desconhecidos;
  • Isto é particularmente difícil, pois os serviços de redução das URL escondem os detalhes da URL original.
  • Não instalar indiscriminadamente aplicações no Facebook, sem saber do que se trata primeiro. Nunca, mas mesmo nunca instalar aplicações desconhecidas!




Ameaça à privacidade.



Uma das principais ameaças à segurança e privacidade dos utilizadores, é proveniente do tipo de conteúdos e de informação que os utilizadores partilham nas redes sociais. Um pequeno exemplo: uma foto divertida hoje partilhada no Facebook, pode tornar-se numa foto comprometedora no futuro. Existe alguma falta de percepção por parte dos utilizadores sobre o impacto que a partilha destes conteúdos e outros pode provocar. Os conteúdos partilhados hoje numa rede social, vão ser distribuídos e partilhados por inúmeros utilizadores e vão persistir na rede social, mesmo que a conta do utilizador seja removida da rede. Não há retorno.

Igualmente, numa perspectiva empresarial e profissional, estas redes sociais podem ser uma ameaça. Hoje em dia, as empresas recorrem frequentemente às redes sociais como uma forma complementar de verificar o perfil dos candidatos a postos de trabalho.





Ingenuidade na divulgação de informações.



Perigosredessociais2 Os perigos das redes sociais






Muitos dos utilizadores das redes sociais (extrapolando para a própria utilização da Internet e da WWW) têm muito pouca consciência das implicações da divulgação da sua informação pessoal e privada em redes pessoais. As conclusões sobre o comportamento dos utilizadores no Facebook são assustadoras em relação aos dados que revelam. Assim, conclui-se que:
  • 46% dos utilizadores do Facebook aceitam pedidos de amizade de estranhos;
  • 89% dos utilizadores da faixa etária dos 20 divulgam a sua data de aniversário;
  • quase 100% dos utilizadores divulgam o seu endereço de email;
  • entre 30-40% dos utilizadores listam dados sobre a sua família e amigos.

Recomenda-se a utilização das redes sociais de uma forma racional, e acima de tudo perceber quais os dados a partilhar e que tipos de conteúdos disponibilizar e para quem. Um conjunto simples de indicações pode melhorar em muito a privacidade dos utilizadores e reduzir o risco de exposição ao algumas das possíveis ameaças. Estas indicações podem ser resumidas no seguinte:
  • Usar correctamente as listas de amigos;
  • Remover-se dos resultados de pesquisa do Facebook;
  • Evitar o tagging em fotos e vídeos (o que pode ser embaraçoso);
  • Proteger os seus álbuns de fotografias;
  • Evitar que as histórias apareçam no feed de news dos seus amigos;
  • Proteger-se contra histórias publicadas por outras aplicações;
  • Tornar a sua informação de contacto privada;
  • Evitar Wall posts que possam ser embaraçosos;
  • Tornar as suas relações privadas;



Google: principal ameaça à privacidade.



O próprio gigante Google está hoje a tornar-se uma séria ameaça à privacidade dos utilizadores. A quantidade de serviços que o Google oferece aos utilizadores (motor de busca, Youtube, Adesense, Adwords, Blogger, DNS, URL shortner, e muitos outros) viram tornar a Google numa empresa com características muito especiais.

Nunca antes na história, tanta informação (muita dela pessoal) esteve nas mãos de uma única entidade privada. Quais os perigos que isto pode representar em termos de privacidade para os muitos milhões de utilizadores que usam os serviços/produtos da Google? Fala-se muito do monopólio da Microsoft, mas o verdadeiro monopolista da informação é o Google.







Os perigos da internet!!!!



Com o advento da Internet, obtivemos inúmeras facilidades em nossa vida e uma das que mais ganham espaço atualmente são as chamadas "redes sociais". Estas, como o próprio nome diz permitem as pessoas o compartilhamento de informações, troca de experiências, fazer nossas amizades, encontrar amigos e familiares e se relacionar de uma maneira ágil e eficiente no nosso mundo altamente conectado. Elas realmente trazem vantagens óbvias.

Mas, muitos desconhecem ou não se importam com os perigos de compartilhar informações particulares nestas redes.

São comuns os casos onde pessoas expõem a si mesmas, familiares e amigos contanto suas intimidades e rotinas facilitando a ação de criminosos e assassinos.

Existem diversas estórias com final triste onde pessoas saíram para conhecer "novos amigos" com preferências e/ou vidas "similares" as delas e acabaram sequestradas, violentadas ou mortas. Um exemplo aqui

Existem casos de pessoas que foram assaltadas ou abordadas por estranhos por colocarem suas fotos e rotinas na Internet. Existe um caso onde marido e mulher conversavam por uma rede social e ele colocou a informação do cartão de crédito na Internet, inclusive com os dígitos de identificação para que ela pudesse fazer uma compra. Eu me pergunto "Por que eles não se falaram por telefone, Skype ou MSN?".

Ao meu ver, vivemos em uma sociedade de culto as celebridades e muitas pessoas querem ter seus dez minutos de fama, então acabam fazendo posts de fotos (algumas absurdas, como a de uma mulher que colocou fotos suas de biquini em uma caixa d'água!!!???) mostrando sua intimidade.

Entendo que muitos não consigam em um primeiro momento ter a noção exata do perigo que correm e acabam por não fazer uso nem das medidas de segurança que as próprias ferramentas como Orkut, Facebook e Myspace oferecem, mas é necessário que todos comecem a prestar mais atenção nas amizades que fazem e nas informações que inserem. Mesmo que muitos não se importem com a sua segurança, precisam entender que colocam em risco outros a sua volta.



Aqui vão algumas dicas básicas para diminuir sua exposição nas redes socias (muitas destas dicas estão disponíveis na Internet):



1- Cuidado ao publicar seus dados na rede social. Alguns dos criminosos utilizam o recurso de lembrete de senhas que fazem perguntas sobre preferências e fatos da vida do usuário. Datas de aniversário, nome de parentes e animais pode fornecer dados importantes sobre senhas e lembretes.

2- Aprenda tudo o que puder sobre o site. Você deve entender a rede social e suas políticas de privacidade por exemplo. Assim, se você se sentir ofendido e ameaçado em alguma ocasião, poderá acionar o site com embasamento em suas próprias regras.

3- Não aceite qualquer pessoa como amigo. Uma rede social não deveria ser uma corrida por popularidade, mas geralmente é. Isso faz com que as pessoas saiam adicionando pessoas estranhas sem critérios. Algumas delas podem ser criminosos, esperando por alguém que queria acessar as informações do seu perfil.

4- Evite publicar seu e-mail pessoal.

5- Cuidado com o que você coloca na rede. Fotos e mensagens podem ser apagadas, mas isso não significa que elas vão desaparecer da rede. Sempre haverá alguém para salvar a tela e publicar em outro lugar.

6- Nunca forneça sua data de nascimento, endereço residencial ou número de telefone.

7- Não presuma que você é obrigado a aceitar qualquer configuração que o site lhe dê. Nas seções sobre privacidade, descubra as opções para limitar quem pode ver diversos aspectos de suas informações pessoais.

8- Tome cuidado com os avisos de ausência, você costuma colocar uma placa na frente da sua casa dizendo que está viajando? Então não faça isso na sua rede social.

9- Cuidado com as fotos que você publica, principalmente aquelas que expõem você ou seus conhecidos (roupas íntimas, poses sensuais).

10- Proteja seu computador, alguém pode invádi-lo e roubar suas senhas para se passar por você.










2 comentários:

  1. O lado B das mídias Sociais. Duas em uma, as mídias sociais junto às tecnologias mais recentes são o maior sistema de espionagem já inventado pelo homem. Gravam tudo o que você fala e expõem em vídeo e fotos e textos para a eternidade. A Web foi criada para fins militares, é uma arma de espionagem, a maior delas. E continua sendo usada para isto. O resto é ilusão.
    Alteram suas regras, as mídias sociais, mudando todo o comportamento de uma sociedade e ou levando-a ao constrangimento porque expõe suas particularidades. Que só se fazia entre amigos íntimos ou às escondidas entre quatro paredes. Porque o usuário ainda se ilude que a Internet é algo privado, que só você ou quem você quer tem acesso às suas informações íntimas e particulares, naturalmente confidenciais como inclusive confidências verbais ou escritas feitas à algum(a) amigo(a).
    E o que é pior, em dois pontos:
    Primeiro, existem organizações criminosas especializadas em criar armadilhas para pessoas comuns que vivem solitáriamente e usam a Internet em uma frequência maior. Transformando-as em reféns (vítimas) das próprias confidências, levando-as à navegações excusas, tenebrosas e às escuridões das trevas "também ciberneticas" as expondo e comprometendo com situações inimagináveis.
    Segundo: é uma mídia que está nas mãos de meia dúzia de empresas influenciando as massas, o planeta, e de alguma forma com os seus dados estatísticos extraídos dos segredos pessoais guardados em seus bancos de dados. Ameaçando a todo momento e ou constrangendo e inibindo os movimentos legítimos em defesa de suas pátrias. Também transformando seus usuários em reféns (vítimas) das próprias confidências, navegações secretas e exposições de suas estratégias políticas, quando não se aproveitando dos momentos pessoais, suas intimidades e particularidades verbais ou físicas.
    Mesmo os Guerrilheiros, rebeldes, revolucionários e independentes são dependentes e submetidos às ações das plataformas que usam para "erguerem suas vozes" como: Facebook, twitter, Google, Yahoo, Gmail, hotmail, msn, Blog, Orkut, Linkedin, que s
    ap bancos de dados gigantescos que guardam as informções de todo o planeta com os seus IP´S. O que apelidei de era apocalÍPtica, com o maior´e único detentor da informação de todos inclusive das mídias sociais, o próprio grupo detentor da W W W, que controla tudo, cada virgula movimentada por todos eles.
    Os supercomputadores calculam estatisticamente tudo, baseado em informações pessoais para tomarem conclusões sobre mudança de comportamento à até um golpe de estado em uma nação, e como e onde se aproveitar disso.
    Como exemplo, de nome sugestivo, No Brasil temos o Tiranossauro, apelidado de Tirano, é um supercomputador da receita federal brasileira que cruza dados de seu cartão de crédito, imóveis (cartórios), contas bancárias de mais de 170 bancos, conta telefônica, plano médico, chegando `a mais de 30 opções de cruzamentos de informaçoes, hoje. Com tendência a aumentar sempre, vasculhando a vida fiscal e financeira de todo cidadão brasileiro e em milésimo de segundos.
    Imagine os supercomputadores que calculam estatisticas via mídias sociais, WEB, bancos de dados, identidade digital de voz nos bancos de dados das empresas telefônicas e etc?
    Esta na hora de criar um movimento que crie alternativas para que não fiquemos à mercê de meia dúzia de detentores desta tecnologia. Criar e fortalecer outras mídias sociais em bancos de dados independentes e seguros de privataria e acabar com o monopólio midiático e de espionagem que se instalou na Internet.
    José da Mota.
    Comentário para artigo publicado no blog de Altamiro Borges, para artigo de Luiz Carlos Azenha.

    ResponderExcluir
  2. José da Mota, eu agradeço muito a sua expressiva contribuição. Seu comentário só fez agregar mais conhecimento ao meu post. Eu espero que você sempre possa deixar algum proveitoso comentário em meu site. Você será sempre bem vindo! E por favor, eu gostaria de fazer amizade com você em meu perfil do Facebook ou do Google. Nada como ter amigos inteligentes e respeitosos em meu seleto círculo de amigos. Um abraço, Lia Nagel

    ResponderExcluir