Conexão Lia Nagel

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

As redes sociais e o mundo corporativo

As redes sociais e o mundo corporativo

Atualmente, muito se fala em Facebook, Twitter, Orkut, blogs e outras redes sociais que modificaram o modo que interagimos e nos comunicamos com os demais. Entretanto, em meio a essa revolução digital, muitas empresas ficam perdidas e não conseguem encontrar a maneira mais simples e correta de interagir com o seu público e divulgar seus serviços.

Em um “terreno” amplo e capaz de absorver diferentes perfis como a internet, é preciso ficar atento na hora de se relacionar com seus usuários para ir até o cliente em potencial e, assim, chegar até aqueles que realmente estão interessados no que a empresa pode oferecer. Se não houver esse cuidado, a comunicação pode se tornar extremamente genérica e não cativar nenhum perfil em especial, fazendo com que as ferramentas de interatividade não alcancem o objetivo proposto e podendo, até mesmo, prejudicar a imagem da organização.

De acordo com o site Administradores, o erro mais comum das instituições é apenas criarem seus perfis nas redes mais conhecidas e esperar por resultados. Não é assim que funciona! É preciso que haja algum objetivo, que a empresa saiba aonde quer chegar, o que quer dizer e com quem está lidando nesses espaços.

Uma característica importante e que deve ser constantemente lembrada nas atualizações dos perfis é a alta interatividade existente na rede. Hoje, o público não deseja mais se comunicar com uma máquina, mas, sim, manter uma relação mais humana e próxima com as companhias. Logo, quando a organização conhece e entende as necessidades de seus clientes, irá saber qual o espaço mais adequado para criar um perfil, a forma mais eficaz de divulgar suas ações, postar suas mensagens e criar vínculos com seu público.

É importante que, ao entrar em alguma rede social, a empresa não tente, todo o tempo, vender seus produtos e aumentar o faturamento. Esse é um espaço para ver o que estão falando sobre ela, mostrar informações interessantes sobre o ramo, produzir conteúdos criativos, conhecer as principais características e desejos de seus clientes e potenciais clientes, gerar simpatia. Saber as regras de determinada rede social, o modo correto de interagir e sempre ser educado são atos indispensáveis para agradar, atrair e fidelizar os usuários. Os demais internautas precisam perceber que, para a sua organização, a opinião dele é muito relevante.

Para o especialista em marketing, Lucas Reñe Copell, o ideal é construir um relacionamento claro e ativo com os usuários das redes sociais, para oferecer respostas rápidas ao consumidor. “Um mecanismo autêntico de resposta e de interação se faz necessário em qualquer organização. Todos os funcionários devem estar capacitados a lidar com essas novas mídias, o que garante agilidade e transparência na comunicação”, diz.

Fonte: Lilián Máximo

Nenhum comentário:

Postar um comentário