Conexão Lia Nagel

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Reconhecendo uma piriguete....

Como reconhecer uma piriguete

  • Cor da sandália combinando com a cor da blusa
  • Alcinha de silicone (você vai na butique e a vendedora fala: "ai, é só colocar alcinha de silicone que não aparece" AIIIIIIIII!!!!)
  • Alcinha de strass aparecendo (ai que chique)
  • Sempre tem inveja das patrícias e compra bolsa "de marca" na 25 de março
  • Moto + short + tamanco (nem sandália é, é TAMANCO) = piriguete
  • Sombra de gliter
  • Óleo, ops... Gloss (acabou de comer frango)
  • No olhos usa lápis que borra na primeira esfregada
  • Blusa Decotada sempre pq NUNCA SENTE FRIO!
  • Calcinha com fio de strass (passarinho que come pedra sabe o cu que tem)
  • Calcinha rasgada pronta para a piroca entrar
  • Bolsa com tachinhas
  • Anabela colorida
  • Blush nõa! É "Brush"!Parece caipira de festa junina
  • Coloca todas as pulseiras do guarda roupa e acha que ta abalando
  • Anda com brincos que parecem banbolês
  • Colar com penduricalhos na ponta
  • Sempre "simpática"
  • Trabalha o mês inteiro para ir em Micaretas
  • Chapinha demais (sabe quando alisou tanto que o cabelo não tem mais movimento?! é muiiiiito piriguete de baile funk)
  • Cintinho de argola (aquele que foi moda a uns 8 anos atras)
  • Minissaia + decote (pronta pra “piriguetiá”)
  • Traje de verão: shortinho 2 números menor + blusinha decotada com tatoo de strass nas costas + Tamancos de 20M de altura
  • Traje de inverno: calça 4 números menor + blusinha decotada + bota de 20M de altura
  • Traje de festa: vestido tomara que caia com duas alcinhas de silicone (transparente, ninguém tá vendo)
  • Traje de dormir: "-Dormir? prefiro dar!"
  • Namorado: o seu
  • Perfume: Avon (propaganda sensurada baby)
  • Comida preferida: " - Qualquer lugar é lugar amiga"
  • Cabelo sempre molhado pingando um líquido branco, todo emplastado de Kolene
  • Escuta funk no celular em um volume maior que em um show ao vivo.

Fonte: Google - Desciclopédia



Você sabe o que é uma "PIRIGUETE"???

Elas estão por todos os lados.

Invadiram de boates à aniversários de crianças.



Ao leve toque de qualquer música, ocorre o piriguete mode on e as adeptas começam o ritual do rebolado.

Sempre com as mais “estilosas” roupinhas, e aquele sorrizinho sensual.

Para ajudar você a reconhecer esse tipo de criaturas, ou quem sabe até para se identificar com o grupo, escrevi esse texto em 10 passos.


piriguete Saiba identificar as piriguetes... bom isso é facil néh vamos combinar...


1- A roupa: Piriguete profissa gosta de se mostrar, e como (na maioria da vezes) a parte intelectual não é muito exibível, o mais válido é apelar para a parte “física” da coisa mesmo. Micro blusas com cores fluorescentes e sutiã à mostra são a última moda do baile funk mais próximo. Saias jeans (também micro, é claro) são indispensáveis, principalmente se forem surradas e rasgadas, como era moda há uns 6 anos.

2- Gritos: A piriguete que está consciente de si mesma não pode deixar de gritar e falar alto enquanto conversa com as outras amigas. Não importa o lugar, e nem o assunto. Não se assuste ao escutar conversas íntimas do tipo “ o que fiz ontem com meu namorado” no meio de um ônibus lotado, ou na fila do banco. Risadas estridentes também são muito características, principalmente se a dita cuja em questão utilizar o recurso para chamar a atenção dos machos da espécie.



3- Maquiagem: Mal gosto sempre aflorado é uma marca inviolável de piriguetes. Vão sair à noite? Então abusam do delineador preto, mas antes pegam aquela sombra azul-piscina ou verde-limão básica e deleitam-se no prazer. Mas outro ponto indiscutível é o pó compacto pelo menos três tons abaixo do que a pele, um mistura de gueixa com complexo de Michael Jackson. Batom marrom-gostoso e blush-chegay também são muito característicos.

4- Ponto de Encontro: Piriguete que é piriguete vai pra balada com as amigas pra causar (não sei o quê, mas vai). E qual a festa do fim de semana? As opções são certas: Baile Funk com presença de Mulher Melancia, ou forró agarradinho (e suadinho… e calorzinho… e encoxadinho…), Noite Sertaneja com a super banda do momento Robston & Gleivissiton, ou quem sabe uma Micareta fora de época com direito aoAbadá Multicolor, que depois da festa vira roupa de guerra.

5- O Vocabulário: É praticamente uma outra língua, um fenômeno socio-antropológico interessantíssimo! Além de falar tudo daquela forma línda, já descrita no tópico 2, a piriguete TEM que cometer suas gafes orais. Se liga pra rádio pra pedir aquela música da última festa, “Alô! Eaí, fulano! Hahuaha *risada estridente* toca aí a música da Pátyureendis api pá nóis!”. A atendente responde: “Qual música?! o.O”. “Aquela ué, que toca toda hora nas festa, que fala Pátyureendis api! Pátyureendis api!”, a pobre criatura responde. “Ok .___., mas qual é mesmo seu nome?” a atendente fala. “É Rosicleide, mas pó chamá de Rosete, que é como o povo dus baile chama eu!” “Obrigada, senhorita… Rosete. Boa Tarde!@__@ ”

6- O salto: Uma grande verdade! Piriguete pode ser tudo, menos desequilibrada! Salto? Só se for maior do que 10 centímetros. E tem que ser de plataforma pra ficar mais estiloso, principalmente se for aquela de plástico cor-de-madeira! Se for de amarrar até no joelho, estilo Carla Perez, fica mais piriguéstico ainda!

7- Gosto Musical: Piriguete, ao contrário do que muitos pensam, não gosta SÓ de música brega. Piriguetes modernas e atualíssimas são bem ecléticas. Mas concorde comigo: é diferente escutar e sentir a música. Não venha me comparar Caetano Veloso com o último single de Mc Créu! É uma concorrência desleal, e toda piriguete experiente sabe que não dá pra tremer as partes baixas ao som de Bossa Nova!

8- Clima: Piriguetes tem o poder sobrenatural de se adaptarem às variações climáticas de todos os ínfimos do mundo. Frio?! Isso é para fracos, não para elas. Afinal, se sentissem frio, como poderiam usar as roupitchas básicas no balada?! É tudo uma questão de evolução adaptativa. Darwin explicaria isso muito bem se houvessem piriguetes em Galápagos.

9- Coragem: Vida de piriguete é uma caixinha de surpresas. Cada balada uma aventura! Quem mais poderia ir pra aquele baile funk com toda a convicção de que não vai pegar um mísero sapinho? Elas não medem esforços, mesmo em concursos de pegação com as amigas. Mas se formos pensar… nem é tão ruim assim, não é mesmo? Afinal, o que são 15 caras diferentes numa festinha só?

10- Piercing de Umbigo: Uma marca registrada! Quer ser piriguete? Então vá no local mais próxima e coloque já o seu lustre dependurado na barriga. Não importa a cor, nem os detalhes, o importante é o tamanho! Quanto maior melhor! E é claro, sempre deve estar à mostra na balada! Aquilo brilha feito um globo de luz na hora do Créu, ainda mais se for na velocidade 5!

E você mulher que esta lendo esse artigo não se envergonhe caso você tenha se identificado com esse texto, pois nunca é tarde para mudar!




Aproveitando o sucesso do artigo postado aqui “Saiba identificar as piriguetes… bom isso é facil néh vamos combinar…“, resolvo comentar sobre:

Como uma “mocinha” vira uma “piri-guete”?



Como toda boa lenda urbana, existem diversas teorias e explicações para tal fato, ocorre-me que, tenho minhas próprias deduções a cerca do tópico em questão, são as seguintes:



As variantes são simples, ou é piri-guete por natureza, ou seja já está no sangue e nada nem ninguém a fará mudar isso, e é apenas questão de tempo para o lado piri-guete aflorar. Ou, é um “monstrinho” criado por “canalhas”, ou seja, graças à inúmeras decepções amorosas a “mocinha” vira uma piri-guete de primeira (ou melhor, de última) qualidade.

As naturalmente piri-guetes: Vamos chama-las de “Naturais”, para ficar mais fácil, acontece que as naturais são como aquele velho ditado: “Pau que nasce torto, morre torto.” Parece balela uma afirmação dessas, mas é mais ou menos por aí mesmo, normalmente as naturais são de fácil identificação até mesmo antes de apresentar seus sinais claros de piri. Desde novinhas são as mais “atentadas” nas brincadeiras infantis, ficam sempre bem animadinhas para brincar de “Pera , uva, maçã e salada mista”, sempre fazendo o mesmo pedido, ou seja, “Salada mista”

Ao decorrer dos anos, vai ficando ainda mais libertina e, no colégio por exemplo, começa com aquele velho comportamental de sempre “pegar” os meninos das séries mais avançadas, como normalmente é proibido em todos os colégios infantis “a pegação”, ela começa a ser “craque” em “esconderijos”. (Amasso no banheiro masculino é o primeiro passo da “piri natural”)

Conforme a idade vai chegando, o lado “profissional piri” aflora, assim como o seu desejo e libido. Aqueles velhos amassos no banheiro do colégio evoluem para “transas ocasionais no banheiro da boate”, vexaminoso, eu sei, mas acontece com frequência, posso dizer.

Vamos falar do “monstrinho”: Tá, concordo que pego bem pesado em chama-las assim, afinal a piri em questão nem é uma piri-guete “profissa”, ela tornou-se piri graças as mazelas que a vida lhe proporcionou, mais claramente falando, os FDP dos canalhas. Vamos combinar que, o mundo seria bem mais “cor de rosa” se existissem mais Cafa´s no mercado, os canalhas me enojam e ainda por cima poluem o romantismo da conquista individual de nós Cafa´s. Desabafos a parte, vamos dar seguimento na descrição da “monstrinho”.



Já me desculpei por chama-las assim, não é nada pessoal, mas verdade seja dita, alguém deixar de ser “mocinha” pra ser “vilã”, é digna do adjetivo, sim. Na minha opinião inclusive, não se deve dirigir nenhum termo pejorativo a nenhuma mulher, embora algumas sejam pra lá de merecedoras.

A criação do “monstrinho” se deve basicamente a algumas regras: No início, quando ainda era “mocinha”, teve poucos casos e no máximo alguns momentos de “paixonite”, era aquela menina que ficava fula da vida quando alguma amiga saia “pegando geral” e sempre recriminava tal atitude.

Até o dia em que, a nossa então “mocinha” se vê perdidamente apaixonada por um “canalha” e, vendo-se nesse estado de “paixonite” começa a considerar a ideia de que irá transformá-lo. (NOTA: Canalhas nunca mudam, é da natureza deles ser Canalhas.). Após algumas investidas na tentativa (frustrada) de mudá-lo, o comportamental do canalha vem a tona, ele começa a não dar a mínima para a “mocinha”, começa a sair com outras, destratar, maltratar e isso deixa a “mocinha” irada de raiva, com razão é lógico.



Entretanto vem o maior erro da “mocinha”. Triste, desmoralizada e tendo plena convicção que perdeu tempo com um canalha, resolve se equiparar, começa a sair a semana inteira em um monte de baladas. Não acredita mais em homem algum, trata todos com desdém, beija incessantemente vários caras sem critério algum, transa com desconhecidos, faz orgias, traições e pronto, está criada nossa “PIRIGUETE MONSTRINHO”. É assim que surge o “Frankestein” das piri-guetes.

Mas não devo comentar só sobre as más, devo também enaltecer aquelas que, tem classe e fazem juz ao que podemos considerar o primor do ser feminino, que é exatamente a delicadeza nas ações.

Meninas, nós homens de verdade gostamos de mulher decidida e não piri-guetes, gostamos de mulher solta e não de piri-guetes, gostamos de putaria sim mas não de piri-guetes, podemos até comer, mas jamais vamos levar uma peri-guete a sério. Quando der posto algo a cerca o que seria uma “mulher solta”.


Fonte: "mui amigos" Os Cafajestes!!!




segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Algumas diferenças entre homens e mulheres ...

Cores ?????

Que cor é essa????



Fonte: Google

Homens: saibam cuidar da sua aparência!!


Hoje, o público masculino constitui o mais novo grupo de consumidores de produtos de beleza.


Cuidar da aparência já não é mais coisa de mulher. Os homens estão cada vez mais vaidosos e exigentes em relação à imagem.




A fisiologia masculina possibilita que processo de envelhecimento da pele aconteça de maneira mais lenta que o das mulheres. Isso, porque os níveis de oleosidade da epiderme são maiores, assim como a concentração de colágeno e elastina na derme. Essas características acarretam em poros mais abertos e na tendência à acne e proliferação de bactérias. Por esse motivo, o primeiro passo para ter uma pele bem cuidada, é lavar o rosto com um sabonete líquido facial, sempre que a oleosidade do rosto estiver excessiva.

Barba

Na hora de fazer a barba, é imprescindível utilizar um creme de barbear. Ele amacia os pêlos, fazendo a lâmina deslizar com mais facilidade, sem danificar a pele. Cada vez que um homem se barbeia, remove a camada hidrolipídica, que protege a pele.


Portanto, é essencial a escolha de um bom produto, que prepare a pele e minimize esse fato, evitando irritações e inflamações. Depois de fazer a barba, é importante lavar bem o rosto com água fria e aplicar um produto pós-barba no rosto e pescoço, que hidrata e suaviza a pele, além de auxiliar na cicatrização da pele e na renovação das células.

As loções pós-barba devem ser escolhidas de acordo com o tipo de pele de cada um. O mercado já disponibiliza produtos adequados para cada tipo de pele, em versões creme e gel, para proporcionar um efeito mais eficaz. Os produtos que contém muito álcool devem ser evitados, pois desidratam e ressecam a pele, antecipando o envelhecimento.


A utilização do filtro solar também é muito importante e se tornou um produto indispensável, não só para as mulheres como também para os homens. Os cuidados com a pele devem incluir o uso diário do protetor no rosto e nas outras partes do corpo que ficam expostas ao sol.

Dica importante


Vele lembrar que os cuidados com a beleza iniciam de dentro para fora. Evitar o fumo, ingerir bebidas alcoólicas com moderação, beber muita água e se alimentar de maneira saudável são os passos iniciais para quem almeja saúde, beleza e bem estar.



Fonte: Portais da Moda

O desafio da liderança

Liderança não é um bicho de sete cabeças!!!


Recebo e-mails com frequência de profissionais promovidos a cargos de liderança pela primeira vez, solicitando dicas sobre postura, posicionamento e outras questões inerentes ao cargo.

Como o exercício da liderança é coisa para gente grande, decidi compartilhar minha experiência nesse sentido a fim de ajudar a todos aqueles que tiverem a felicidade e ao mesmo tempo a coragem de encarar esse maravilhoso desafio.

Antes de discorrer sobre o assunto, peço que deixe de lado o famigerado clichê de que a liderança exige fé, amor, perdão, humildade, altruísmo, paciência e outras coisas mais.

Considero isso muito básico e já está mais do que consolidado no best seller "O Monte e o Executivo", de James Hunter. Um livro excelente, porém de difícil aplicação nesse mundo essencialmente materialista e competitivo em que vivemos.

Liderança vai além.


Exige sangue, suor, lágrimas, dedicação, estratégia, vocação, equilíbrio, transparência e, acima de tudo, predisposição para lidar com gente difícil, invejosa, sem muita noção, com muita noção, insegura, melindrosa, insubordinada, maldosa e coitadinha.

Com um pouco de sorte, pode-se encontrar boas pessoas nas equipes também, dispostas a aprender, contribuir e fazer parte do time em vez de querer puxar o seu tapete.



De acordo com estudos realizados por Robert Goffe e Gareth Jones, da Harvard Business School, os quatro mitos mais populares sobre liderança já foram derrubados:

(1) nem todas as pessoas podem ser líderes;

(2) líderes nem sempre levam a resultados;

(3) pessoas que chegam ao topo não são, necessariamente, líderes e, por fim,

(4) líderes nem sempre são grandes coaches (bons condutores de equipes).

As condições que favorecem a liderança podem ser as mais inexplicáveis possíveis.

De fato, ninguém nasce líder e nem todos aspiram à liderança.

Se todos os líderes levassem a resultados positivos, o mundo seria diferente. Além do mais, existem aqueles elevados à condição de liderança mediante conchavos, arranjos de toda ordem e apadrinhamentos, mas esse jogo faz parte do mundo dos negócios e do mundo político e pouco se pode fazer contra ele. Nesse sentido, você deve resistir a qualquer tipo de "sacanagem" e partir para a conquista efetiva da liderança se quiser registrar o seu nome na história.

Por esses e outros motivos, a liderança também é cíclica.


A cabeça dos líderes pode rolar de acordo com o humor dos acionistas, a insatisfação da própria equipe, a conspiração silenciosa dos demais líderes e a própria falta de adaptação do líder ao cargo.

Por outro lado, alguns líderes tiranos e prepotentes tendem a se sustentar no cargo com a obtenção de resultados favoráveis seguidos, alcançados mediante coerção, ameaças, jogo sujo e um pouco de sorte.

Em muitos casos, esse comportamento acaba encobrindo os defeitos e premiando a incompetência dos líderes no trato com as pessoas, mas, infelizmente, acontece. Para muitas empresas, o que interessa é o resultado, portanto, mesmo que a direção tenha conhecimento dos desmandos, posturas assim são ignoradas em nome do lucro.

De maneira geral, líderes realizam trabalhos por meio de outras pessoas, tomam decisões difíceis, alocam e distribuem recursos e dirigem as atividades de outros com o intuito de atingir determinados resultados. A parte técnica é mais fácil, depende apenas de você, entretanto, a parte humana é mais complexa.



De acordo com Robert Katz, professor norte americano e pesquisador do comportamento organizacional, a liderança demanda três competências essenciais:

* Habilidades Técnicas: capacidade de aplicação de conhecimentos ou especialidades específicas. Diz respeito à formação e ao conhecimento do líder, à sua expertise, aquilo que você realmente sabe fazer.

* Habilidades Humanas: capacidade de trabalhar com outras pessoas. Diz respeito à sua habilidade de relacionamento interpessoal: saber motivar, ser bom ouvinte, saber comunicar-se, formar equipes de alto desempenho, enfim, saber lidar com gente.

* Habilidades Conceituais: diz respeito à sua capacidade de analisar e diagnosticar situações complexas e, com base nelas, tomar decisões acertadas para o bem da empresa.
Um indivíduo pode ter capacidade técnica e humana, mas pode fracassar como líder por causa da sua incapacidade de processar e interpretar racionalmente as informações.


Apesar disso, penso que você deve encontrar o próprio jeito de liderar, agir com bom senso, equilíbrio e serenidade. Liderar não é algo tão simples quanto você imagina, porém não é um bicho de sete cabeças.

Posicionamento é a chave.

Senso de justiça é obrigatório.

O resultado é pura consequência dos seus atos.


Ao ser elevado à condição de líder pela primeira vez, pense na liderança como uma lição de sobrevivência que você deve aprender rapidamente, se quiser manter-se no cargo e conquistar o respeito do grupo. Todo líder já foi um simples subordinado e passou pelas mesmas dificuldades iniciais, portanto, não se apavore. As regras são universais e podem ser aplicadas em qualquer condição de liderança:

* Esclareça as expectativas: você não vai competir com os membros da equipe; você vai dirigi-los, orientá-los, motivá-los, fazê-los alcançar resultados, portanto, seja claro quanto ao propósito da sua missão e ao papel de cada um dentro da equipe.



* Imponha seu próprio ritmo: você é o maestro, portanto, dita o ritmo da equipe, ajusta o foco, seleciona os membros de acordo com a sua expectativa em relação ao que é necessário para atingir os resultados esperados pela organização.



* Liberdade vigiada: embora você seja o maestro, monte uma equipe em que se possa confiar e que cada membro saiba tocar o seu próprio instrumento; equipes de alto desempenho são feitas de pessoas que cumprem o seu papel à risca; confie e monitore os resultados.



* Reúna o grupo com frequência: reuniões extensas e muito frequentes São maçantes e improdutivas; reuniões coordenadas, com pauta pré-definida, de 30 a 45 minutos no máximo, no início de cada semana são necessárias para manter o foco e a comunicação alinhada, além de ajudar a corrigir a rota quando necessário.

* Crie um bom networking com os demais líderes: você é um tomador e um prestador de serviços ao mesmo tempo, portanto, construa um bom networking com os demais líderes, mantenha-os informados a respeito da sua área e evite a competição; faça o seu trabalho.

* Comemore os resultados: eis aqui um bom diferencial competitivo; a maioria dos líderes está preparada para cobrar, competir e sugar a energia da equipe; você pode fazer tudo isso, porém, ao comemorar os resultados poderá conquistar confiança e o respeito do grupo.



No meu livro Manual do Empreendedor (Atlas), eu dediquei um capítulo específico para o líder empreendedor, pois considero a liderança é a virtude mais apropriada para a mudança que queremos ver no mundo.



Ser elevado à condição de líder é uma oportunidade única que não deve ser desperdiçada. É a sua chance de demonstrar a habilidade para fazer as coisas do seu jeito, mas diferente do que você está acostumado a ver no mundo corporativo. Não tenha medo, respeite suas limitações e elas não se voltarão contra você. Aproveite seus pontos fortes, faça o melhor que puder e o restante acontecerá naturalmente.

Pense nisso e seja feliz!



Fonte: Jerônimo Mendes