Conexão Lia Nagel

terça-feira, 8 de junho de 2010

Axilas: cuidados especiais



Axilas pedem cuidados especiais na hora do banho e da hidratação
Calor, umidade e atrito ajudam no acúmulo de bactérias provocando mau cheiro e irritações

Creme para as mãos, para os pés, para o rosto. O fato é que não tem quem não queira ficar com a pele saudável e hidratada, com aquele toque supermacio. Mas alguns cantinhos importantes costumam passar batido na hora do ritual de beleza, como é o caso as axilas.
Resultado: a pele desta região fica ressecada, manchada e com bolinhas.

A falta de cuidados também pode provocar mau cheiro e até irritações. "Por serem dobras, e sofrerem atrito, tendem a reter impurezas e bactérias, causadoras do odor forte e de outras irritações", explica a dermatologista Meire Parada Brasil, da Unifesp.

Na hora do banho
A atenção extra com as axilas já começa debaixo do chuveiro. Para fazer uma boa higienização, prefira os sabonetes antissépticos e use uma esponja macia para não agredir a pele, já que é uma região bastante sensível. Depois, seque bem a região com uma toalha limpa. "Isso evita a umidade no local, que somada ao calor, tornam-se condições perfeitas para a proliferação de fungos e bactérias", diz a dermatologista.

Uso de hidratante

Para ficar com a pele das axilas bem macia, aplique o mesmo hidratante corporal que você usa para hidratar as demais partes do corpo. "Você deve passar o creme da mesma maneira e com a mesma frequência, porém, antes de usá-lo certifique-se de que as axilas estão bem secas, para evitar a umidade", explica Meire.
Hidratando com desodorantes

De acordo com a dermatologista Meire Parada, a diferença entre um bom desodorante hidratante bom e um que não faz tanto efeito está na sua fórmula e textura. Além de conter um teor de creme hidratante em sua composição, existem consistências que são mais apropriadas para a hidratação.

"Desodorantes nas versões creme, bastão e roll-on são sempre as melhores opções para quem quer ficar com a axila hidratada, além de cheirosa. Já os líquidos, com base alcoólica, não hidratam e ainda ressecam a pele", explica a dermatologista.
Uso de óleos

O uso de óleo hidratante na axila não é recomendado, porque o produto pode provocar o aumento da oleosidade da pele, o que, em pouco tempo, pode causar até a obstrução de alguma glândula. "O óleo hidratante também pode causar suor mais intenso e manchar roupas", explica Meire.
Depilação

Para a dermatologista, a depilação das axilas deve ser feita de acordo com cada tipo de pele.
Segundo ela, só é possível recomendar um método quando se sabe o histórico da paciente: "às vezes, você recomenda a cera e a paciente tem alergia ou, em outros casos, é o creme que irrita. A paciente tem que prestar atenção nas reações que seu corpo tem para perceber o método mais eficiente, porém, destaco a depilação a laser como a mais eficiente e saudável das opções", explica ela.

"Não é recomendado usar cremes logo após a depilação. Eles podem provocar ardência, irritações mais sérias e até foliculites (pelos encravados), que trarão incomodo e mal-estar", diz Meire.

Esfoliação pode?

A especialista recomenda moderação.
"As axilas são dobras que vivem em constate atrito com a pele. Se você esfoliar uma região que já vive mais sensível, pode ser que ocorra uma irritação ainda maior e apareçam lesões na região. Por isso, é melhor evitar", explica a dermatologista.

Saiba Mais:
Em caso de manchas

É comum aparecerem manchas escuras nas axilas, em decorrência da depilação, da pigmentação da pele, entre outros fatores, dando aquele aspecto envelhecido a pele. Para evitar o problema, a dermatologista sugere as seguintes precauções:

- Hidrate bem a pele

- Evite produtos que te causem irritação em outras partes do corpo

- Observe se as manchas estão relacionadas a algum outro problema como obesidade ou disfunções hormonais

- Só um dermatologista é capaz de indicar tratamentos para clarear a região.


Fonte: Natalia do Vale


Prolongue o efeito do desodorante e afaste o mau cheiro nas axilas

Com essas dicas você atravessa a jornada de trabalho sem preocupações com cheiro de suor


Ele é tão importante quanto o sabonete ou a pasta de dentes, por exemplo. O seu desodorante garante um corpo refrescante por horas a mais, além de preservar suas axilas e a roupa do cheiro desconfortável de suor. Que tal, então, prolongar o feito do seu produto favorito por mais tempo?

Para que o desodorante agüente a jornada de trabalho, sem correr o risco de ver as manchas surgirem na camisa, o especialista Angel Lizárraga, diretor da Associação Brasileira de Cosméticos, recomenda que os cuidados comecem durante o banho. A flora bacteriana existente nas axilas reduz a eficiência do produto , explica.

Primeiro, lave a região com sabonete antibacteriano para eliminar os microorganismos causadores do mau cheiro. Seque-se bem, pois a pele úmida dificulta a penetração do produto.

Também é importante prestar atenção no tipo de tecido que constitui suas roupas. Os sintéticos abafam demais e dificultam a transpiração, favorecendo o odor desagradável. Quem sua demais, deve evitar esse tipo de material em qualquer época do ano. Já quem não sofre com o problema deve privilegiar as roupas de algodão nos dias quentes, pelo menos.

Se você costuma tomar banho e seguir direto para a cama, pode dispensar o uso noturno dos desodorantes. Isso porque a maioria das fórmulas conta com agentes que bloqueiam as glândulas sudoríparas (que mal trabalham enquanto o corpo repousa). Além disso, a pele vai permanecer com resíduos químicos até o dia seguinte, sem necessidade , afirma Angel.

Cheirinho de banho
Afaste as preocupações com o suor, seguindo estas dicas

Na hora do banho: lave bem as axilas com buchas e sabonetes anti-sépticos. Seque bem a pele após o banho.

Recheie o guarda roupa: prefira peças de algodão. Os tecidos sintéticos, como o elastano e a elanca, retêm o suor e dão mais chance para as bactérias entrarem em ação. Durante o dia, privilegie roupas de cores claras e que não apertem as axilas. Evite também tecidos grossos ou pesados, pois eles impedem a transpiração eficaz. Não repita roupas usadas de maneira nenhuma e evite usar roupas de outras pessoas.

Menos suor: mantenha a virilha e as axilas depiladas, pois isso ajuda a evaporar o suor e a diminuir o odor causado pelas bactérias, cuja proliferação é favorecida pela umidade retida nos pêlos. Compressas com chá preto ajudam a diminuir o suor, graças à presença de ácido tânico, que desacelera a produção da glândula sudorípara. Desodorantes antiperspirantes obstruem os ductos das glândulas sudoríparas, reduzindo a produção de suor.

Sem perfume: nunca escolha o desodorante pelo cheiro. Ele pode ser com ou sem perfume, porque seu efeito depende mesmo é da produção potencial de suor de cada indivíduo, da sua propensão a atrair bactérias e da capacidade desodorante do produto.

Repassar: os desodorantes antitranspirantes têm efeito mais prolongado, podendo inclusive ser usados uma vez ao dia, enquanto os mais suaves costumam exigir reaplicação - para quem transpira muito, de cinco a oito aplicações por dia.

Hidratação: o uso de talco, soluções caseiras e perfumes nas axilas não são aconselháveis pelos médicos, porque podem comprometer a transpiração ou irritar a pele. Uma solução pode ser manipular substâncias à base de hidróxido de magnésio (leite de magnésia comum) e passar duas vezes ao dia, após o banho. Fale com o seu dermatologista sobre isso.

Mais sensível
Após a depilação, sua pele fica naturalmente mais sensível, irritando-se com facilidade. Por isso, evite passar desodorantes, e outros produtos químicos, nas 24 horas seguintes à eliminação dos pêlos.




Especialistas revelam o que um bom desodorante pode fazer pela sua pele
Além de combater o mau cheiro o produto reduz o suor e hidrata a pele das axilas


Se você pensa que a função de um bom desodorante é só afastar o cheiro ruim das axilas, talvez esteja na hora de experimentar uma nova marca. Até porque o verdadeiro culpado pelo odor esquisito debaixo dos braços não é o suor. Eliminado pelas glândulas sudoríparas, responsáveis por equilibrar a temperatura do corpo e expulsar substâncias tóxicas por meio de secreções, o suor não tem odor , afirma a farmacêutica Soraya Carvalho de Oliveira que atua na área de Pesquisa e Desenvolvimento de cosméticos da Associação Brasileira de Cosmetologia.

As grandes culpadas pelo mau cheiro são as bactérias, que se alojam em áreas quentes e úmidas. Em linguagem médica, o desodorante tem a função de evitar os desagradáveis odores de transpiração devidos a alguns ácidos carboxílicos presentes no suor. Existem no mercado talcos e desodorantes que contêm bicarbonato de sódio (NaHCO3). Sua função é diminuir o odor, pois reagem com os ácidos carboxílicos, transformando-os no sal correspondente.



A maioria dos produtos, no entanto, também oferece ação antitranspirante, que minimiza a quantidade de suor eliminado. Segundo a farmacêutica, essa redução na umidade da área diminui a chance de proliferação de microorganismos. Existe, porém, o risco de obstrução dos poros e inflamação da glândula. Algumas pessoas podem apresentar, ainda, irritação a componentes derivados do alumínio, como hidróxido e cloridróxido de alumínio, diz Soraya.

Já o desodorante simples não regula a transpiração. Mas conta com ingredientes anti-sépticos, que inibem o crescimento de bactérias na região. A princípio, isso elimina o mau cheiro causado pelos microorganismos.

Há versões sem perfume e com aromas variados. As fórmulas disponíveis em roll-on têm a maior representatividade na composição de faturamento da categoria, com 37% das vendas (em valor), seguidos por spray e pump com 33% e aerossóis com 20%. As menores fatias ficam com creme (9%) e bastão (1%).

A proteção 24 horas é cada vez mais comum. No entanto, ela só acontece caso as axilas sejam higienizadas e secas de forma adequada durante o banho, eliminando resíduos que podem favorecer a proliferação de bactérias.

Entre os preferidos pelo consumidor, o produto em spray apresenta uma das tecnologias mais avançadas (formando uma camada acetinada nas axilas, que ficam mais hidratadas). Existem ainda opções que não deixam marcas nas roupas, mesmo escuras, e até produtos que combatem o escurecimento das axilas, problema que constrange muitas mulheres.

Escolha o melhor desodorante para você:

Roll-on: indicado para pessoas que buscam absorção mais rápida


Spray: devido à alta concentração de álcool, é indicado para homens, pois eles têm mais pêlos nas axilas. Porém, pessoas com mais sensibilidade sentem uma leve ardência.


Creme: indicado para pessoas com pele sensível. É ideal para quem costuma depilar as axilas com lâminas. Para evitar a contaminação do conteúdo, lave bem as mãos antes de mergulhar o dedo no pote.


Bastão: indicado para pessoas que necessitam de alta proteção e priorizam uma aplicação seca e suave. Conheça todas as fases do seu cabelo


Fonte: Minha Vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário