Conexão Lia Nagel

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Pretinho básico: o imortal da moda feminina!

Imortal, o pretinho básico nunca sai da moda!

Há quem diga que ele é o melhor amigo da mulher.

Sinônimo de estilo e elegância, o "pretinho básico" tornou-se mais que uma peça-chave no guarda-roupa feminino.

Um dos clássicos da moda mundial, ele surpreende por sua versatilidade há quase 80 anos.

A história do "pretinho básico" começa em 1926.

Nesse ano, a revista Vogue publicaria uma ilustração do novo modelo de vestido, criado pela estilista Coco Chanel.

Às vésperas da segunda grande guerra, o modelo passou despercebido.

Somente em 1947, Christian Dior ressuscitaria a idéia de Chanel e, de quebra, popularizaria o que ficou conhecido como o uniforme das moçoilas dos anos 50: um vestido preto, com golas e luvas brancas, usado com um colar de pérolas, sapatos coloridos e uma estola de pele.

O sucesso do modelito foi tamanho que as décadas seguintes trataram de promover suas próprias releituras do clássico.

Nos anos 60, o "pretinho básico" ganharia nova cara. Desta vez, pelas mãos do francês Hubert Givenchy.

O modelo ficaria eternizado pela personagem da atriz Audrey Hepburn no filme Bonequinha de Luxo.

Após os coloridos e psicodélicos anos 70, o "pretinho básico" voltaria com tudo.

Nos anos 80, ele encarnaria de vez o papel de salva vidas fashion.



Simples e elegante, o vestido seria o uniforme ideal para as mulheres que corriam atrás do seu espaço no mercado de trabalho - isso, é claro, sem abrir mão da feminilidade.

A partir dos anos 90, o desenvolvimento de novos tecidos deixou o "pretinho básico" ainda mais versátil.

Para montar looks completamente diferentes um dos outros, basta um pouco de criatividade: aposte nos acessórios!


Fonte: Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário