Conexão Lia Nagel

domingo, 23 de maio de 2010

Homem Adulto - Próstata

Após quantos anos a próstata pode crescer novamente depois de uma RTU ?
O crescimento da próstata após uma RTU vai ser proporcional ao que foi retirado, isto é, se numa próstata de 100g o urologista retirar 10g, vai ter problemas em poucos anos. Se dos 100g retirar 80g, vai passar bons anos ou nunca mais vai se incomodar. Obviamente que a quantidade ressecada é diretamente proporcional à habilidade e também ao equipamento do urologista.
É possível dosar o nível de PSA mesmo depois da próstata extraída?
A uretra possui uma pequena e desprezível produção de PSA, motivo pelo qual ele não fica 0,0 na radical. Entretanto, se os valores de PSA se elevarem acima de 0 (ZERO) é certeza de diagnóstico do câncer de próstata. Após a prostatovesiculectomia radical, o PSA torna-se um excelente marcador de neoplasia.

O que é PSA ?
PSA, do inglês prostate-specific antigen ou antígeno prostático específico, é um teste laboratorial de sangue que ajuda a diagnosticar ou acompanhar o câncer de próstata. É uma substância produzida na próstata e sensível a qualquer alteração desta, por isto o PSA deve ser coletado no mínimo 10 dias após o toque retal, pois este pode alterá-lo. Outras doenças, como infecções (prostatite, ITU) ou obstrução urinária (prostatismo, estenose de uretra) ou ainda hábitos (relação anal), podem alterar também o PSA, que aqui se mostra específico para próstata, mas não-específico para câncer de próstata.

Apenas o exame do PSA é suficiente como preventivo do câncer de próstata ?
Não. Em torno de 30% dos homens com tumor maligno de próstata, em seu estado inicial, podem ter o PSA normal, sem sintomatologia alguma, visto que o câncer é uma doença de início insidioso (pouco ou nenhum sintoma). Apesar disto, nestes 30%, geralmente o nódulo (câncer inicial) já é palpável ao toque retal(TR, exame retal). Se houver nódulo, uma biópsia para confirmação diagnóstica se faz necessária. A partir dos 40-45 anos de idade (ou menos se há na família algum caso anterior de câncer prostático) o homem anualmente deve se preocupar em ter sua próstata examinada, pelo toque retal, PSA (após no mínimo 10 dias) e uma ecografia de aparelho urinário (já sendo útil para também afastar outras doenças urinárias). O exame físico é ainda insubstituível, e os demais exames, PSA e TR, são apenas exames complementares. A critério de seu médico, o TR pode ser feito em mais ou menos intervalo de tempo, dependendo de seu risco para o câncer.

Meu pai está com PSA elevado e a biópsia foi negativa. Não tinha nódulo. Como isto é possível ?
O PSA não é específico de câncer prostático e sim de próstata, isto é, qualquer situação que altere sua fisiologia pode também alterar o PSA, como prostatites agudas, crônicas, ITU, retenção urinária, instrumentação uretral (dilatações ou cistoscopias, uso de sonda uretral), toque retal recente, fecaloma, etc. Não é também obrigatório existir um nódulo palpável em todo câncer prostático. Assim, sem nódulo, a biópsia será aleatória e não dirigida ao nódulo. Eventualmente poderá ser repetida em alguns meses, a critério do urologista.

Uma próstata grande pode ter um PSA elevado ?
Sim. Na maioria das vezes o PSA é diretamente proporcional ao volume da próstata. Assim, próstatas com mais de 30 gramas podem ter, não obrigatoriamente, um PSA elevado. Obviamente, a possibilidade de câncer deverá ser afastada pelo urologista. Nestes casos, a velocidade do PSA, isto é, em que espaço de tempo cresceu o valor do PSA é um dado mais importante.

O exame prostático (toque retal) é doloroso ou embaraçante ?
Embora o toque retal seja um exame desagradável, ele é simples, rápido e indolor. O pouco desconforto emocional sofrido no exame (vergonha), não se compara aos benefícios deste simples e eficiente método diagnóstico.

Se eu tenho uma próstata aumentada de volume, significa que eu tenho câncer ?
A partir dos 50 anos de idade, ou antes, ter uma próstata aumentada é um considerado normal e esperado no homem. A hiperplasia prostática não é um crescimento maligno e não significa obrigatoriamente câncer. Pode entretanto, existirem ambas as doenças, hiperplasia e câncer, por isto o comparecimento anual ao urologista é obrigatório a partir dos 40 anos.

O exame de sangue "PSA TOTAL" pode substituir o toque de próstata, caso o resultado não apresente nenhuma alteração ?
Não. 30% dos homens tem câncer de próstata com PSA normal ou no limite superior da normalidade. Felizmente o toque retal existe para diferenciá-los e conduzi-los ao tratamento adequado, sem que fiquem esperando por um PSA elevado para procurar um urologista, pois pode ser muito tarde. Nem mesmo o PSA total e o livre juntos podem fazer um diagnóstico sem o toque retal.

Ao evacuar reparei um líquido sair pela uretra. O que pode ser isto ?
No esforço para evacuar, suas fezes fazem uma espécie de "massagem" prostática, uma vez que a próstata é "colada" ao reto. Por isto é que o exame da próstata, o toque retal é feito através do ânus. Assim, as fezes comprimindo a próstata, que é uma glândula, esta libera o líquido prostático que sai pela uretra e você vê no vaso sanitário. Nada de anormal existe nisto, fique tranquilo.

Relação entre cânceres de próstata e testículo
Tenho visto um certo conflito sobre a idade de se iniciar o exame de toque retal para prevenção do câncer de próstata, variando entre 40 e 50 anos.
"O irmão de um amigo meu teve câncer de testículo na faixa dos 28 anos, mas nenhum histórico relatado de câncer de próstata na família. Quando ele deveria começar a fazer o exame preventivo?"
Como a maioria dos homens, ele tende a adiar se valendo da recomendação mais distante possível no tempo, esperando talvez que surjam métodos alternativos de detecção - ao que parece o exame de sangue de antígeno específico da próstata NÃO substitui o toque retal, certo? Correto. Deve prevalecer o bom senso, uma vez que não há ainda um consenso.
O toque retal é o exame da próstata, sem ainda, um substituto. Deve iniciar aos quarenta anos, com toque e PSA. Posteriormente, até os 45 anos, pode-se acompanhar com o PSA (com alguma segurança), tolerando incrementos de até 10-15% ao ano.
Passando disto, a repetição do toque se faz necessária, pois 30% dos homens desenvolvem câncer de próstata com PSA menor que 4mg/dl. Assim, a partir dos 45 anos, o toque é obrigatório.
Com histórico familiar de câncer de próstata, o exame retal deve iniciar-se aos 40 anos e PSA ainda antes (tive um paciente com diagnóstico aos 38 anos).
Quanto mais jovem com diagnóstico, mais agressivo será o tumor, se não tratado. Em relação ao testículo, não existe relação com a próstata, e sim com a idade, na 2ª e 4ª décadas de vida, qualquer alteração testicular deve ser examinada por um urologista.
Homens com mais de 45 anos devem fazer exame de prevenção do câncer da próstata:
O Ministério da Saúde tem alertado a população masculina para a importância do exame da próstata para prevenir esse tipo de câncer, em homens com mais de 45 anos.
O câncer de próstata é o segundo maior causador de mortes, perdendo apenas para o câncer de pulmão, provocado pelo tabagismo.
“Atualmente, o número de homens que resistem a fazer o exame da próstata é pequeno. Mas ainda há preconceito por parte deles”, comenta o urologista da Secretaria, Manoel Guimarães dos Santos. Quem vai fazer o exame de próstata deve passar em qualquer Unidade de Saúde, onde será encaminhado para um Centro Regional de Especialidades.
No Paraná, em 2003, o câncer de próstata vitimou 647 homens. No ano passado, a doença provocou 684 mortes e até o mês de junho deste ano 307 homens morreram por causa da doença, segundo relatório divulgado pela Secretaria.
De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), 400 mil brasileiros com mais de 45 anos sofrem de câncer de próstata sem saber que têm a doença.
A Sociedade Brasileira de Urologia também informa que são diagnosticados no Brasil 35 mil casos e que esse câncer provoca 8 mil mortes anualmente. Segundo a instituição, em cada grupo de 100 mil homens surgem 51 novos casos, o que significa que em cada seis homens com mais de 45 anos um apresenta a doença.
Diagnóstico precoce:
A próstata é um órgão do aparelho reprodutor masculino que pesa cerca de 20 gramas (comparado ao tamanho de uma castanha). Está localizada abaixo da bexiga e é responsável pela produção de 30% do volume da secreção que acompanha o esperma.
Depois dos 60 anos, é normal o crescimento benigno da próstata em 70% dos homens. Destes, 30% podem desenvolver o câncer, que exige tratamento com medicamentos ou cirurgia.
A doença não apresenta sintomas na fase inicial, quando pode ser curada. Isso preocupa ainda mais os especialistas, pois, quanto mais cedo o paciente iniciar o tratamento, maiores são as possibilidades de cura.
“Se a doença for diagnosticada precocemente, o paciente pode ser tratado por cirurgia, com muita chance de cura, ou por radioterapia”, explica o urologista Manoel Guimarães. Em 2003 foram feitas no Paraná 1.943 cirurgias da próstata. No ano passado este número caiu para 1.831 e dados parciais de 2005 mostram que, até julho, 938 cirurgias foram realizadas no Estado. Os dados são do Departamento de Programação, Processamento e Informações (DPPI) da Secretaria. O médico comenta que os homens que já tiveram casos da doença em algum membro da família devem procurar um especialista cinco anos mais cedo, por volta dos 40 anos.



Estudo relaciona infertilidade aos riscos de câncer de próstata



Homens inférteis podem ter 2,6 mais chances de desenvolver a doença
Homens com problemas de fertilidade podem ter maior risco de desenvolver formas mais agressivas do câncer de próstata, segundo um estudo recente da Universidade de Washington, nos Estados Unidos.
Os pesquisadores avaliaram 22 mil homens da Califórnia, entre os considerados férteis e os que procuraram clínicas de tratamento da infertilidade nos anos de 1967 a 1998. Foi observado que, apesar da taxa de câncer de próstata não diferir significativamente entre os inférteis e aqueles sem problemas para ter filhos, os primeiros tiveram 2,6 vezes mais chances de serem diagnosticados com câncer de próstata avançado.
Os pesquisadores descobriram que, entre os que desenvolveram câncer de próstata, os inférteis eram mais propensos a ter um tipo de câncer mais agressivo, em comparação àqueles que não têm problemas de fertilidade.
De acordo com o pesquisador Thomas J. Walsh, esses resultados sugerem que homens identificados precocemente com o fator masculino de infertilidade precisam fazer a triagem do câncer de próstata o mais rápido possível, por causa do elevado risco de desenvolvimento da doença.
Estudos anteriores sobre a possível relação entre infertilidade e câncer de próstata apresentaram resultados conflitantes, na medida em que alguns disseram que homens que tiveram filhos apresentam menor risco de ter a doença, e outros mostrando não ser possível fazer tal relação. Sobre isso, o estudo recente destaca que o número de filhos não é um indicador eficaz da fertilidade masculina.

Café diminui chances de câncer de próstata em 60%

Consumir uma xícara por dia pode reduzir o risco de tumores, diz pesquisa.
Um estudo recente realizado por pesquisadores norte americanos sugere que beber café pode diminuir as chances de desenvolver câncer de próstata. Segundo o estudo, ingerir grandes quantidades da bebida diminuiu em 60% os riscos de surgimento de tumores. Cerca de 50 mil homens tiveram o consumo de café monitorado a cada quatro anos entre 1986 e 2006.
Segundo os pesquisadores, o café influencia em fenômenos associados ao câncer de próstata devido a forma como o organismo quebra as moléculas de glicose e também a quantidade de hormônios sexuais liberados. Os pesquisadores afirmam que não sabem ao certo quais os componentes que tornam a ingestão de café positiva, porém minerais e antioxidantes presentes na bebida limitam danos nos tecidos causados pela liberação de energia nas células. Contudo, os responsáveis pelo estudo ressaltam que o alto consumo de cafeína pode causar outros problemas à saúde, mas quem toma, regularmente uma xícara de café não precisa desistir do hábito.

Fonte: MinhaVida, SiteUro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário