Conexão Lia Nagel

terça-feira, 18 de maio de 2010

Alimentos Diet e Light


Muitas pessoas acreditam que o consumo de alimentos em sua versão diet oulight é suficiente para perder peso.
Entrentanto, não se pode abusar desses produtos, pois eles também contém calorias.

O fato do produto ser diet ou light não significa que estão isentos de calorias e, consequentemente, poderiam ser consumidos sem restrições.

Os produtos dietéticos não levam açúcar na composição. Isso quer dizer, apenas, que o consumo desses produtos está liberado para pessoas que seguem uma dieta com restrição à ingestão de açúcar, e não que esses produtos não possuem calorias ou não engordam.

Nesses produtos, o açúcar é substituído por outra substância que dá o sabor doce ao alimento. Apesar de não fazerem mal ao diabético, essas substâncias contém calorias.

O sorbitol, por exemplo, que é uma das substâncias mais usadas em produtos dietéticos, tem 2,4 calorias por grama, cerca de 60% das calorias do açúcar de cana comum.

Quando um produto tiver redução expressiva de pelo menos um dos ingredientes encontrados na fórmula original, poderá ser considerado light. Estes produtos possuem, portanto, menos calorias do que os convencionais, o que não significa que não contém calorias.

Os próprios fabricantes, de certa forma, induzem as pessoas ao erro ao estamparem nos rótulos de seus alimentos as palavras diet, light e sugar free. Esses produtos são, realmente, bons aliados em dietas, mas não podem ser consumidos em excesso.

Quem consome estes produtos está, de fato, consumindo menos calorias por unidade do produto. Mas é claro que, quanto maior for o consumo desses produtos, maior será a ingestão de calorias.

Por exemplo, 2 fatias de pão diet possuem 120 calorias, o mesmo que um pão de queijo grande; 3 bolas de sorvete napolitano dietpossuem 160 calorias, o mesmo que um brigadeiro mais uma fatia de pudim de chocolate; 2 embalagens de Halls diet também possuem 160 calorias, tanto quanto um prato de sobremesa de espaguete com molho ao sugo; 100g de biscoito doce diet possuem tantas calorias quanto uma fatia de pizza de mussarela mais um picolé de limão (360 calorias) e uma barra de 100g de chocolate ao leite diet possui 550 calorias, o equivalente a um chocolate Diamante Negro (30g) mais um pastel de queijo e uma Coca-Cola.

Portanto, é preciso prestar mais atenção nos rótulos das embalagens para descobrir realmente a quantidade de calorias que cada produto contem, pois só isso poderá indicar em que quantidade eles podem ser consumidos.

Alimentos Dietéticos



De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o termo diet pode ser usados em dois tipos de alimentos:
Alimento Diet:
1. Nos alimentos para dietas com restrição de nutrientes (carboidratos, gorduras, proteínas, sódio);
2. Nos alimentos para dietas com ingestão controlada de alimentos (para controle de peso ou de açúcares).
Mas, o que quer dizer ingestão controlada ou restrição de nutrientes?
Os alimentos para dietas controladas não podem ter a adição de nutriente. Assim, alimentos para ingestão controlada de açúcar não pode haver inclusão desse nutriente sendo permitida a existência do açúcar natural do alimento como, por exemplo, a geléia diet que tem como açúcar natural a frutose.
Os alimentos restritos em carboidratos (pão, chocolate, bala diet) ou gorduras (iogurte desnatado 0% de gordura) podem conter, no máximo, a adição de 0,5 gramas do nutriente por 100 gramas ou 100 mL do produto. Já, os alimentos restritos em proteínas devem ser isentos desse nutriente. Como, a quantidade permitida nos alimentos com restrição de carboidratos e gorduras é muito pequena, é comum a definição de alimento diet sendo o produto isento de um nutriente específico.
É importante que fique claro que nem todos os alimentos diet apresentam diminuição significativa na quantidade de calorias e, portanto, devem ser evitados pelas pessoas que querem emagrecer. Um exemplo clássico, é o chocolate diet que apresenta teor calórico próximo do chocolate normal. O chocolate diet é indicado para as pessoas diabéticas pois, é isento (restrito) em açúcar (carboidrato), mas, não para as que desejam reduzir de peso, já que no chocolate diet há uma maior adição de gordura o que faz com que o seu valor calórico se aproxime do chocolate normal. Por outro lado, com a retirada de um nutriente, o alimento pode vir a apresentar uma diminuição de calorias mas, nesse caso, é preciso verificar se a redução justifica a substituição do alimento convencional pelo diet.
Alimento Light
A definição de alimento light deve ser empregada nos produtos que apresentem redução mínima de 25% em determinado nutriente ou calorias comparado com o alimento convencional. Para que ocorra a redução de calorias é necessário que haja a diminuição no teor de algum nutriente energético (carboidrato, gordura e proteína). Assim, a redução de um nutriente não energético, por exemplo, sódio (sal light) não interfere na quantidade de calorias do alimento.
Dessa maneira, a primeira diferença entre o alimento diet e light está na quantidade permitida de nutriente. Enquanto que o diet precisa ser isento, o light deve apresentar uma diminuição mínima de 25% de nutrientes ou calorias em relação ao alimento convencional. A segunda diferença, é conseqüência da primeira: o alimento light não é, necessariamente, indicado para pessoas que apresentem algum tipo de doença (diabetes, colesterol elevado, celíacos, fenilcetonúricos). Se, o alimento light apresentar eliminação do nutriente, por exemplo, açúcar (refrigerante light), poderá ser consumido pelos diabéticos.
Além disso, a quantidade do alimento consumido não deve ser aumentada por se tratar de um alimento que apresenta baixas calorias. Freqüentemente, ocorre o erro que ingerir o dobro do habitual por ser um alimento diet ou light mas, dificilmente, há a redução de 50% das calorias nesses alimentos.
Confusão é fácil de acontecer, por isso, ler os rótulos dos produtos light e diet e compará-los com o alimento convencional é importante para verificar se eles atendem as suas necessidades. Fique sempre atento na hora da compra pois, como esses alimentos são mais caros do que os convencionais, você poderá estar gastando mais por um alimento que não precisa ser substituído.


Fonte: Cartilha Novas Tecnologias - Procon-PBH

Nenhum comentário:

Postar um comentário