Conexão Lia Nagel

Pesquisar neste blog

Tradutor - Translate

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Qual é a melhor hora de ir pela primeira vez ao ginecologista?



Saber qual a hora certa para levar uma menina ao ginecologista é uma dúvida que persiste na mente de muitas mães, já que normalmente são elas que tomam esta decisão.



A primeira consulta costuma causar muita apreensão para as adolescentes, porque significa, de forma geral, que ela virou mulher e isso deve ser compreendido.

Para o
ginecologista e psicólogo Jorge Serapião, não é necessário levar uma criança de 8, 9 ou 10 anos ao ginecologista apenas porque teve a primeira menstruação (menarca).



“Só em caso de sintomas de doenças, como corrimento. A mãe deve estar sempre conversando com a filha para saber se a saúde dela está dentro da normalidade”, explica.



“Não há vantagem efetiva em levá-la ao especialista tão nova”, afirma. “Nessa idade, a menina tem um pudor acentuado com médicos homens, e as mães devem respeitar isso, optando por uma médica. Na adolescência, as mulheres se sentem menos constrangidas”, completa o especialista.

A mulher deve ir ao ginecologista assim que inicia a vida sexual ou ao apresentar sintomas de alguma doença.



A adolescente deve fazer a sua escolha ao longo das consultas. Jorge Serapião explica que, geralmente, a mãe escolhe o ginecologista da filha. Entretanto, muitas vezes a filha não aceita o ginecologista da mãe, principalmente se for homem. “Nesse caso, para a mãe ficar mais tranquila, ela deve pedir a indicação de uma ginecologista ao seu médico de confiança”, sugere.



Uma questão bastante complicada que frequentemente acontece nos consultórios é a mãe querer saber tudo sobre a filha.



“Nem sempre as meninas desejam que a mãe fique ciente de tudo e pede segredo ao médico. É fundamental que ele preserve eticamente a informação de sua paciente. Claro que isso depende do fato. Se há risco para a vida da adolescente, o médico deve contar à mãe”, afirma.



Hoje, basta uma consulta anual para fazer preventivo quando há vida sexual ativa e sem sintomas de doença.

A partir dos 40-45 anos, a mulher deve incluir no exame a mamografia.



Caso haja precedentes na família ou qualquer outro motivo, o profissional pode solicitar o processo mais cedo.




Fonte: Realizanews



Nenhum comentário:

Postar um comentário