Conexão Lia Nagel

Pesquisar neste blog

Tradutor - Translate

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Na era da tecnologia digital: inovação

Não se pode pensar em tecnologias digitais, inovação, alta performance e redes de relacionamentos sem compreender a importância e a essencialidade da cultura para o sucesso de qualquer iniciativa empresarial.


Fora dessa perspectiva qualquer estratégia de gestão, marketing digital ou comunicação corporativa torna-se superficial, inconsistente e efêmera.



Muitas empresas ainda desconsideram a cultura organizacional e tentam desenvolver projetos e processos, implantar estratégias de comunicação e lançar produtos e serviços inovadores, imaginando que o sucesso será certo, pois a demanda do mercado é garantida e o seu negócio está muito bem planejado. No entanto, a desatenção para os valores e a cultura da empresa garantirá o fracasso daquilo que teria todo o potencial para ser um verdadeiro sucesso.


Várias organizações sólidas e bem sucedidas ruíram quando partiram para iniciativas empreendedoras, aquisições, fusões e incorporações, sem considerar os aspectos fundamentais dos valores, crenças e costumes envolvidos.


Não respeitar valores, não conscientizar crenças e princípios que orientam atitudes, comportamentos e ações coerentes, tornam as organizações vulneráveis à constância das crises conjunturais, pois não há um sentimento forte de corresponsabilização e coesão entre dirigentes, lideranças médias e funcionários, fatores imprescindíveis para a superação de desafios e a conquista de desempenho e resultados autossustentáveis.

Conforme ressalta Francisco Gomes de Matos (livro Estratégia de Renovação - Editora Thomson - 2008), "todo grupo social, por mais simples que seja, vai formando uma cultura própria, que ganha expressão, determinante do sucesso, à medida que a torna transparente para todos os seus componentes. Isso implica que haja orgulho e comprometimento em pertencer, que se tornam mais fortes, quanto maior a adesão a verdades comuns que formam a alma do grupo, assegurando sua sobrevivência e continuidade".

Ao contrário, destaca o autor, "quando os valores culturais não são nitidamente expressos, prevalecendo os objetivos pragmáticos do negócio, que oscilam em função das oportunidades imediatistas de mercado, a organização tende a se tornar um laboratório de crises. Cada situação mobiliza forças potencialmente divergentes e predatórias, pois falta o motivador comum que é o espírito de equipe, resultante da aceitação das crenças comuns".

Francisco Gomes de Matos observa ser preciso "desenvolver a consciência de que todos pertencem a uma organização que possui missões e responsabilidades claramente explícitas e difundidas, onde os anseios individuais são reconhecidos, abrindo-se campo à participação, à criatividade e à valorização humana".

Cultura é a alma do negócio

A empresa que não investe na consolidação da sua cultura acaba perdendo confiança, produtividade, qualidade, credibilidade e, consequentemente, clientes, negócios e mercado, o que significa baixa sustentabilidade, que pode significar a mesma coisa que desempenho negativo ou falência. Esta é uma relação de causa e efeito incontestável.

Um grande número de corporações tem investido pesadamente em mídias digitais para melhorar a comunicação interna. No entanto, os resultados não aparecem e surge a pergunta: onde está o erro? A resposta está na falta da conscientização de valores e princípios, que valorizem os relacionamentos humanos e a corresponsabilização por objetivos e verdades comuns.

A falta de diálogo, de abertura à conversação e troca de idéias é, sem dúvida alguma, o grande problema que prejudica o bom desempenho de muitas organizações. Nesse sentido, a comunicação corporativa é um processo diretamente ligado à cultura da empresa, ou seja, aos valores e às atitudes das suas lideranças e às crenças e aos comportamentos dos seus colaboradores.

Não adianta a empresa investir em blogs corporativos, redes sociais de relacionamento; importar modelos de certificação da qualidade e sistemas de tecnologia da informação se internamente não existe um ambiente de abertura ao diálogo e de compartilhamento de conhecimento, informações e opiniões.

Com a consolidação da cultura da comunicação é possível simplificar e solucionar praticamente todos os problemas organizacionais, que na maioria das vezes estão ligados à desvalorização do relacionamento humano.


A cultura é a essência da boa navegação no desafiador oceano da era digital.


Fonte: Gustavo Gomes de Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário