Conexão Lia Nagel

Pesquisar neste blog

Tradutor - Translate

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Pílulas anticoncepcionais

Um certo pânico se instala quando a pílula é esquecida.
O que fazer nessas horas?
Calma!
A Dra. Mariana Maldonado dá algumas dicas:

O uso de pílulas anticoncepcionais é uma das formas mais antigas e eficazes para evitar a gravidez.

Lançadas na década de 60, foram importantes na emancipação sexual das mulheres, que passaram a ter mais liberdade para transar sem o temor de ter uma gravidez fora de hora.

Mas por outro lado, estas pílulas tinham uma dose muito alta de hormônios (estrogênio e progesterona) e por isso muitos efeitos colaterais, incluindo trombose e infarto do coração.

De lá pra cá, muita coisa mudou: surgiram outras pílulas com novos hormônios e doses reduzidas, causando um mínimo de efeitos colaterais e riscos para a saúde, mas mantendo o máximo de proteção contra a gravidez.

No Brasil, a pílula anticoncepcional (seja a combinada - que contém estrogênio e progesterona – ou somente com progesterona – a minipílula ou pílula da amamentação) é o método mais utilizado pelas mulheres, depois da ligadura de trompas. Quando usadas de forma correta e regular, previnem a gravidez em mais de 99% das vezes.

Já está mais do que provado que a principal causa de gravidez em usuárias de pílulas é o seu uso incorreto, seja por falta de orientação ou por simples esquecimento.

E por falar em uso correto, nunca é demais lembrar como estas pílulas devem ser usadas: para quem está começando com as pílulas combinadas (as mais comumente utilizadas pelas mulheres em geral), deve-se dar preferência às de baixa dosagem (35, 30, 20 ou 15 mcg de etinilestradiol). A primeira cartela deve ser iniciada no primeiro dia do ciclo menstrual (no primeiro dia da menstruação) e no horário mais conveniente para mulher. A forma de usar é simples: tomar uma pílula por dia, sempre respeitando o horário escolhido.

Mas o que fazer quando se esquece de tomar a pílula?

A resposta é simples: depende do tipo de pílula que se está usando (se é combinada ou só de progesterona), sua dosagem e formulação (se é de uso contínuo – sem interrupção – ou com intervalos). De uma forma geral, estas são as orientações sobre o que fazer em caso de esquecimento das pílulas combinadas:

Esqueceu de tomar uma pílula:



1) Tomar a pílula esquecida assim que lembrar e seguir tomando a cartela normalmente. Se a pílula esquecida só for lembrada no momento da próxima tomada, pode-se tomar as duas pílulas ao mesmo tempo!

2) Não é necessário usar métodos adicionais (como por exemplo, a pílula de emergência ou do dia seguinte).

Esqueceu de tomar duas ou mais pílulas:

1) Tomar a primeira pílula esquecida assim que lembrar. Depois, seguir tomando a cartela normalmente ou então descartar os comprimidos esquecidos para continuar com a ordem inicial. Não é preciso interromper a cartela.

2) Se o esquecimento aconteceu na última semana da cartela (últimos sete comprimidos), as pílulas restantes deverão ser tomadas até o final, descartando-se os esquecidos. Uma nova cartela deve ser iniciada logo em seguida, sem intervalos.

3) Em qualquer caso, é muito importante utilizar uma proteção extra (como a camisinha) ou não ter relações sexuais até ter tomado a pílula por sete dias consecutivos.

4) Se a mulher esqueceu de tomar duas ou mais pílulas da cartela e teve uma relação sexual desprotegida neste período, ela deve usar a pílula de emergência e seguir as recomendações dos itens 1, 2 e 3.

E não esqueça: nenhum método é 100% seguro!

As chances de falha da pílula aumentam se não forem usadas corretamente.
Além disso, estas recomendações são gerais, não substituem a orientação médica e nem o uso da camisinha, que é o único método que confere dupla proteção: contra a gravidez e doenças sexualmente transmissíveis!




Fonte: Dra. Mariana Maldonado é médica ginecologista e obstetra, especialista em Sexologia e Homeopatia.





10 perguntas sobre pílulas anticoncepcionais
01 - COMO A PÍLULA FUNCIONA?
Os hormônios contidos na pílula (estrogênio e progestina) atingem uma glândula no cérebro (pituitária) e bloqueiam os hormônios responsáveis pela ovulação. O organismo “pensa” que está grávido e a ovulação é interrompida. Assim, não ocorre a gravidez. Além disso, ela deixa o muco cervical (secreção que sai pela vagina e se parece com clara de ovo) mais espesso. Isso ajuda a imobilizar o espermatozóide.

02 - ALGUNS REMÉDIOS PODEM ANULAR O EFEITO DA PÍLULA?
Verdade. Sabe-se que a ampicilina, por exemplo, um antibiótico bastante comum e utilizado no tratamento de diversas infecções, pode reduzir sua eficácia. Nesses casos, a mulheres devem se certificar seu anticoncepcional contenha pelo menos 50 microgramas de etinil-estradiol ou mestranol.

03- PÍLULA NO SHAMPOO ACELERA O CRESCIMENTO DO CABELO?

Segundo os especialistas seria uma grande desperdício. Pensem comigo: se anticoncepcionais realmente acelerassem o crescimento dos cabelos, já fariam parte da composição natural dos shampoos e mascaras capilares. É uma lenda totalmente sem fundamento!

04 - PÍLULA ENGORDA?

Essa questão pode não ser verdadeira, apesar de muitas mulheres afirmarem o contrário. Uma pesquisa recente avaliou a variação de peso de 128 mulheres em uso de contraceptivos orais durante 4 meses e descobriu que 72% das pacientes não apresentaram qualquer alteração de peso no final do período.

05 - PÍLULA FAZ MAL PARA O CABELO?
Não existem evidências científicas comprovando este fato, por que faria?

06 - A PÍLULA CAUSA VARIZES?

A pílula possui sim diversos efeitos sobre o sistema cardiovascular e é possível que estejam envolvidos de alguma forma no desenvolvimento de varizes, mas as pesquisas realizadas não comprovaram nada até o momento.

07 - PARAR DE TOMAR PÍLULA PODE CAUSAR ACNE?

Verdade. A pílula reduz os níveis sangüíneos de androgênios (hormônios masculinizantes) e, dessa forma, podem colaborar para diminuir a gravidade da acne. Mas não existem verdades absolutas na medicina, não é?

08 - A PÍLULA PODE SER USADA NO TRATAMENTO DA ENDOMETRIOSE?
Sim, a pílula realmente pode fazer parte do tratamento não-cirúrgico desta doença. Progestinas isoladamente podem ser úteis e são a primeira escolha de muitos especialistas.

09 - PÍLULA REDUZ CÓLICAS MENSTRUAIS?
A menstruação dolorosa (dismenorréia) é menos freqüente nas mulheres que não ovulam. Por isso, as pílulas podem ser úteis em 70-80% dos casos de dismenorréia. Mas quando a pílula é suspensa, as mulheres geralmente sentem a mesma intensidade de dor que apresentavam antes do seu uso.

10 - MULHERES QUE TOMAM PÍLULA DEMORAM MAIS PARA ENGRAVIDAR QUANDO PARAM?

Verdade. O retorno à fertilidade em mulheres que interromperam o uso de hormônios leva mais tempo quando comparado às mulheres que interromperam outros métodos contraceptivos, mas não há prejuízo da fertilidade.


Fonte: Cosmopolitan Nova, Gineco, Boa Saúde


Nenhum comentário:

Postar um comentário