Conexão Lia Nagel

Pesquisar neste blog

Tradutor - Translate

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Loiras ou morenas?

Homens preferem as loiras.....




Esse era o nome do filme emblemático de Marilyn Monroe, que disputava as atenções masculinas com não menos estonteante e lasciva brunette Jane Russell em 1953.


De lá para cá aparentemente isso se tornou uma regra na cabeça de todo mundo e a ciência tenta, a todo custo, responder a questão tão delicada. E a resposta não é tão simples assim.



Segundo estudo, as loiras parecem ser mais sensuais, carentes e dependentes do que as morenas.

Tudo tem a ver com sobrevivência



Há cerca de 11 mil anos, com o fim da era glacial, uma mutação dos genes humanos causou o aparecimento de loiras e dos olhos azuis, segundo estudos científicos, publicados em 2006. Os homens da época tinham que sair em caçadas em locais distantes e muitos morriam no caminho, levando as mulheres a disputar os sobreviventes à tapa. Assim, as pequenas mutações em cores de pele, olhos e cabelos acabavam levando vantagem na competição, por serem diferentes e mais atraentes. Ou seja, desde aquele tempo os homens queriam aparecer e como não havia ainda os carros esportes, o jeito era sair com as loirinhas e fazer os amigos morrerem de inveja. Com isso, a população de cabelos claros foi aumentando o desejo masculino também.

Tudo tem a ver com imagem



Para tentar responder à eterna pergunta, vários estudos científicos foram conduzidos abordando especialmente a sensação que o visual feminino traz na cabeça dos garotões. Ou seja, contrastando com uma campanha famosa de refrigerante e totalmente condizente com o jogo da sedução e conquista, imagem é tudo. Um estudo conduzido na Inglaterra em 2005, mostrou que as loiras passam a impressão de serem mais sexy, mais extrovertidas e amigáveis, mas em contrapartida, parecem ser mais carentes e dependentes. Já as morenas foram associadas com a imagem de inteligentes, auto suficientes, estáveis e competentes. 



As ruivas inglesas já ganharam a pecha de neuróticas e temperamentais. Tudo isso se confirmou ainda no ano passado nos Estados Unidos, quando outra pesquisa, feita com três mil marmanjos, mostrou que homens adoram namorar loiras e se casam com as morenas. Enquanto as primeiras se mostram mais sedutoras, divertidas e ótimas para a balada, as outras passam a impressão de serem mais dependentes, confiáveis e amorosas. E o mesmo se deu na Irlanda, onde as morenas se tornaram a preferência masculina. 



É só analisar as personagens do mais feminista seriado que já apareceu na TV, Sex and The City, que conseguimos encontrar perfeitamente todos os estereótipos encontrados nas conclusões científicas: Carrie é a loira inocente, Samantha a loira safada, Charlotte é a morena para se casar e Miranda, a ruiva neurórica. Tenho certeza que a maioria dos homens passariam a noite com Samantha, fugiriam de Miranda, namorariam Carrie, mas se casariam com Charlotte. E como o assunto está longe de ser esgotado, mesmo depois de 100 séculos, no começo do mês de janeiro, na Sorbonne de Paris, realizou-se um congresso onde especialistas em artes, ciências, música e cinema analisaram o porquê dessa adoração. A organizadora do evento, a morena Marie-Camille Bouchindomme, declarou que loiras despertam desejos por causa da ambivalência que carregam entre a inocência e a perversão. Isso talvez explique porque a Lolita de Nabukov é morena no livro e loira nas adaptações cinematográficas. 
Concluindo o longo debate, não há resposta concreta. Loiras e morenas mexem com a libido masculina de diferentes maneiras e não há razão para nenhum dos lados se sentir perdendo a guerra.



Aliás, não há motivo nem para ter a guerra!

A única certeza de tudo isso é que a história que as loiras vão desaparecer em 200 anos e que os homens preferem as moças de cabelos tingidos às com cor natural foi uma das maiores pegadinhas já publicadas na imprensa mundial e foi desmentida pela Organização Mundial de Saúde. Ou seja, os fãs dos cabelos claros, naturais ou não, podem dormir tranquilos.

Fonte: Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário