Conexão Lia Nagel

Pesquisar neste blog

Tradutor - Translate

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Construindo a minha Auto Estima

PARE DE:

COMECE A:

destruir-se, ser seu pior inimigo

ame-se, seja o seu melhor amigo

escolher a ansiedade e a depressão

escolher a felicidade

remoer as fraquezas

identificar as suas forças

ser passivo ou agressivo

ser assertivo

ter pensamentos irracionais

ter um sistema de valores racionais

referir-se a si mesmo com nomes negativos

referir-se a si mesmo com nomes positivos

permitir que lhe critiquem destrutivamente

colocar limite para as critica destrutiva

tédio e monotonia - ficar no mesmo buraco

estender-se - tentar coisas novas

viver sem valer a pena

decidir qual é o meu valor

reclamar do que não esta acontecendo na sua vida

estabelecer e alcançar as suas metas

destruir padrões saudáveis

respeitar seu corpo com alimentos nutritivos

deixar-se oprimir pôr exigências sobre

meditar, orar, relaxar, colocar limites

seu tempo ou seu espaço e a sua energia

tirar tempo para si mesmo


Você sabia que o bem-estar psicológico é fundamental para a sua saúde?

Ser feliz, se conhecer melhor, saber enfrentar as dificuldades e lidar de uma forma saudável com sentimentos e emoções são fundamentais para o sucesso, disposição, realização pessoal e, conseqüentemente, emagrece!

O modo de viver é o que mais influencia a saúde e a felicidade das pessoas.

É por isso que o cuidado com o bem-estar psicológico torna-se essencial.


Confira abaixo os benefícios de um acompanhamento psicológico regular:


* estimula o equilíbrio emocional e diminui a ansiedade;

* amadurece o indivíduo e desenvolve sua auto-estima;

* reduz custos com absenteísmo e despesas médicas;

* enriquece a qualidade do relacionamento familiar e social;

* ativa novos potenciais e desperta a criatividade;

* estimula a cooperação, o trabalho em equipe e a produtividade;

* resgata a saúde, o bem-estar e a alegria de viver.

* ajuda a descobrir os motivos do comer em excesso


Afinal, o que é essa tal de 'auto-estima'?

O que é esta tão famosa auto-estima? Tão falada e às vezes difícil de ser alcançada. Como viver com ela sempre ao nosso lado? O que fazer quando ela some de repente e nos deixa com ódio do próprio espelho?

Afinal o que é se amar? Cuidar do corpo, da higiene pessoal e dos pensamentos? Ser bom com as pessoas ou ser feliz?

A auto-estima caminha ao lado do ser humano e pode ser acessível desde que ele trabalhe consigo mesmo este amor incondicional. Classifico a auto-estima como um amor incondicional que temos com nossa própria essência.

Vivemos vários enfoques no mundo: sermos analisados por nós mesmos, pelo mundo e pelo outro. Temos nossa própria visão, enfim como vemos nossa personalidade, nosso ego, tendências, qualidades e defeitos. A visão que temos do nosso próprio eu pode ser distorcida por vários fatores: estress, forte auto-crítica, complexo de inferioridade, etc. Nossa percepção não condiz com nossa essência e assim, nos sentimos inseguros e insatisfeitos. Há também a visão do outro sobre nós mesmos. A visão dos nossos pais sobre nós mesmos pode influenciar nossos destinos. A forma como fomos aceitos, educados ou amados pelos nossos pais afeta, de forma considerável, nosso desenvolvimento pessoal e emocional. Depois, a visão do outro, o chefe, o amigo(a), o namorado(a), o empregado(a). Eles podem ter outra forma de nos ver ou aceitar.

Todo ser humano tem o desejo de ser aceito e apreciado. Você gosta de receber críticas? Como reage quando é elogiado? Certamente, de forma diferente quando recebe uma crítica. A reação mais natural e instintiva é a seguinte: "Nossa, você está equivocado." "Puxa, você exagerou." Agora, se um elogio vem e é sincero nossa reação é diferente: "Ah, obrigado, não sou assim.... puxa, você está sendo apenas gentil .."

Se formos esperar do outro uma aceitação plena, vamos viver sempre sem auto-estima. Para o ser humano a auto-estima, às vezes, está vinculada à apreciação positiva ou negativa do outro.

Convivemos o dia a dia com nuances variados de tipos de personalidade. Sendo ainda imperfeitos, nossa auto-estima vem e vai. Ela não é estática. Algumas pessoas quando não são reconhecidas pelo que fazem ou sentem, caem na mais profunda depressão. "Não sirvo para nada!" Vem uma auto-consideração negativa que pode resvalar para um problema psicológico. Somos muito susceptíveis e a nossa auto-estima anda ao lado das nossas emoções.

O que fazer para conviver bem consigo mesmo? Manter acesa a chama do controle das próprias emoções. Muitas pessoas têm uma infância frágil e difícil, outras pais repressores, outros nascem órfãos. No entanto, mesmo com esta miscelânia de influências , algumas pessoas seguem o caminho da vitória pessoal. Parecem impregnadas de uma energia positiva admirável. Não se deixam abalar por críticas ou falsas apreciações e perseveram até vencer.

Outros, tem uma vida particularmente fácil. Pais sensíveis e amigos, mas mesmo assim, crescem com o psiquismo frágil. Desfalecem ante qualquer crítica ou apreciação negativa do outro.

Cultive sua auto-estima todos os dias. Como você é um ser humano povoado de emoções, nem sempre conseguirá ter tudo sobre controle. Conviverá com fases ruins e boas que poderão oscilar sua auto-estima. E se sentirá o último dos homens ou das mulheres. Se for contaminado pelo vírus da inveja, tudo ficará pior! Sua energia que poderia ser voltada para seu próprio progresso será desperdiçada com a comparação da vida do outro. "O outro é bonito, eu não sou." "Ela está empregada. Eu não!" "Fulano é bem casado. Eu não!" Fulana conquista todos os homens e eu pareço invisível."

Observe como você se relaciona com seu corpo e sua mente. O que está obstruindo seu caminho para a direção da auto-estima? O trabalho da auto-estima começa com a aceitação de si mesmo(a). Se você não se aceita, não adianta apenas muitas e muitas cirurgias plásticas ou quilos de maquiagem. Ou então, vestir a roupa da moda. Você precisa da auto-aceitação do seu corpo. Através disso, o corpo refletirá seu estado íntimo de segurança e auto-valor. Beneficiar o corpo apenas com os cuidados físicos de embelezamento ou higiene é apenas o começo. O processo é mais profundo.

A auto-estima terá que ser acalentada em todos os dias da sua vida. Em certos momentos, sentirá como se ela tivesse desaparecido! Lembre-se! A mente modela tudo o que você imagina. Então, se permita a auto-aceitação. Não será fácil. Lutará sempre contra altos e baixos. Lutará algumas vezes contra o descaso das pessoas, a ingratidão de algumas e o esquecimento de outras. Em certos momentos, você sentirá que seu espelho é bonzinho. Em outros, nem tanto. Seu corpo tem que combinar com sua essência para que você se sinta livre e feliz. Senão, sentirá uma sensação de insegurança e frustração.

Acreditar em si mesmo é um passo em direção da auto-estima. Saber diferenciar suas limitações reais das imaginárias também o ensinará a lição da sua aceitação. Você é uma essência espiritual, mas o seu corpo é o espelho do seu espírito. Ele sempre refletirá sua real tristeza ou alegria. Gostando ou não do seu corpo terá que conviver com ele a vida toda. Já pensou nisso? Que tal se dar uma chance e se gostar mais?

Auto-estima é deixar fluir a aceitação gostosa do seu corpo; presente divino.

Auto-estima também é a aceitação do outro, tal qual como ele é.

Aceitando-se tal qual você é, com suas limitações e qualidades, aceitará também o outro. E o convívio consigo mesmo e com o outro neste mundo atual, será muito mais fácil.


Fonte: Camila Mareze (
Psicóloga e Psicoterapeuta - SP)

Nenhum comentário:

Postar um comentário