Conexão Lia Nagel

Pesquisar neste blog

Tradutor - Translate

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Como você lida com suas dívidas?

Você sabe que tipo de endividado você é?

Para saber como você lida com as dívidas e de que forma pode melhorar sua vida financeira, faça agora o teste a seguir:

Parte superior do formulário

1) Nos últimos doze meses seus rendimentos foram utilizados para:
A. Pagar as despesas e investir o excedente
B. Pagar as despesas
C. Pagar quase todas as despesas e comprar alguns itens necessários
D. Não foi suficiente para pagar as despesas

Parte inferior do formulário


Parte superior do formulário

2) No último ano a média de imprevistos financeiros foi de:
A. Não tive nenhum imprevisto
B. Tive 1 situação imprevisível
C. Tive em média 3 situações imprevisíveis
D. Tive inúmeros imprevistos

Parte inferior do formulário


Parte superior do formulário

3) Você considera imprevisto:
A. Financeiramente, imprevistos não existem. sempre tenho uma reserva para qualquer emergência
B. Acidente
C. Curso de atualização
D. Troca de móveis e/ou eletrodomésticos

Parte inferior do formulário


Parte superior do formulário

4) Sobre seus rendimentos qual é o percentual que você possui em empréstimos, financiamentos e/ou carnês?
A. Nenhum
B. Até 30%
C. Até 50%
D. Acima de 50%

Parte inferior do formulário


Parte superior do formulário

5) Nos últimos dozes meses quantos empréstimos e/ou financiamentos você contraiu?
A. Nenhum
B. 1 vez
C. 2 vezes
D. Mais de 3 vezes

Parte inferior do formulário


Parte superior do formulário

6) No último ano quantas vezes você utilizou o cheque especial, atrasou pagamentos e/ou parcelou o pagamento do cartão de crédito?
A. Nenhum
B. 1 vez
C. 2 vezes
D. Mais de 3 vezes

Parte inferior do formulário


Parte superior do formulário

7) Quantas vezes você já teve seu nome incluído no SPC, Serasa, etc?
A. Nenhum
B. 1 vez
C. 2 vezes
D. Mais de 3 vezes

Parte inferior do formulário


Parte superior do formulário

8) Qual é a época em que você, normalmente, faz compras?
A. Não tenho época definida
B. Quando preciso de alguma coisa
C. Quando vejo alguma promoção
D. Logo após o recebimento do salário

Parte inferior do formulário


Parte superior do formulário

9) Nos últimos doze meses quantas vezes você comprou alguma coisa e não utilizou (vestuário, equipamento eletrônico, etc)?
A. Nenhum
B. 1 vez
C. 2 vezes
D. Mais de 3 vezes

Parte inferior do formulário


Parte superior do formulário

10) Qual é o planejamento que você faz para rendimentos extras (13° salário, bonificação, comissão, divisão de lucros, prêmio, etc)
A. Analiso qual é o melhor investimento, considerando meu perfil de investidor
B. Separo uma parcela para pagar algumas contas e coloco o restante em uma aplicação segura
C. Compro algo que há muito queria
D. Não gosto de pensar antes de receber, na hora decido qual a melhor alternativa

Parte inferior do formulário


Resultado
O resultado é apenas uma aproximação da sua situação financeira. Conte qual foi a maioria das letras que você assinalou e confira alguns dados do seu perfil.

Se você assinalou mais a letra A: parabéns, você não está endividado! Suas respostas mostram um elevado grau de educação financeira. A forma com que você lida com seus rendimentos está correta. Se você se dedicar, poderá se transformar em um grande investidor.

Se você assinalou mais a letra B: fique tranqüilo. Caso você esteja enfrentando uma situação de endividamento, provavelmente será passageiro. Embora você cometa alguns “deslizes”, você se enquadra no perfil do endividado passivo. Endividamento passivo é aquele causado por algum imprevisto, alheio à sua vontade. Mesmo assim, é importante que você amplie seu conhecimento em relação às finanças para fazer seus rendimentos se multiplicarem e evitar ficar à mercê de situações que podem ser prevenidas.

Se você assinalou mais a letra C: muito cuidado. Seu grau de endividamento é elevado e você está lidando com sua vida financeira de um modo arriscado. Seu conceito de imprevisto está equivocado e você se enquadra na categoria de endividado ativo, ou seja, ativamente você se envolve em alguma situação de endividamento. Você precisa rever urgente a forma com que está gerindo seus rendimentos e buscar instrução financeira. Além disso, é fundamental analisar quais são as motivações que levam você ao endividamento constante. É muito possível que alguma questão afetiva, consciente ou inconscientemente, esteja interferindo na sua relação com o dinheiro.

Se você assinalou mais a letra D: você está muito encrencado. Infelizmente, você atingiu o grau máximo de endividamento e não possui controle sobre sua vida financeira, e isso o torna refém das suas próprias atitudes. Seu perfil é de sobreendividado, ou seja, suas dívidas se sobrepõem umas às outras. Possivelmente, você escolhe – na sorte – qual credor vai pagar primeiro e isso já virou uma “bola de neve”. Procure ajuda especializada, crie um planejamento para sair dessa situação e não desista. Endividamento é um processo, romper com ele também! Nesse caminho de sanar uma grande quantidade de dívidas, você enfrentará momentos difíceis, não apenas financeiros, mas afetivos. Procure manter o foco e não desistir dos seus propósitos.

Outras informações, acesse:


http://www.mj.gov.br/dpdc
http://www.idec.gov.br
http://www.procon.gov.br
http://www.serasa.com.br

E no livro "As Armadilhas Do Consumo – Acabe Com O Endividamento".


Fonte: Márcia Tolotti - Psicóloga

Nenhum comentário:

Postar um comentário