Conexão Lia Nagel

Pesquisar neste blog

Tradutor - Translate

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Alimentos afrodisíacos

Você sabia que certos alimentos tem poder afrodisíaco e podem fortalecer a memória?

Primeiramente vamos entender como um alimento pode aumentar o nosso desejo, a nossa libido:

Os alimentos conhecidos como afrodisíacos são aqueles capazes de aumentar a intensidade das sensações, através de uma boa acelerada na circulação. Ou seja, o estímulo sexual ocorre por causa dos poderosos efeitos que esses alimentos têm na corrente sanguínea.

O aspecto, o aroma e a sensação que tais alimentos provocam ao serem ingeridos somam mais pontos na hora de animar o casal.

Frutas com perfume doce, por exemplo, podem influenciar no desejo, despertando sensações que interferem na liberação de certos hormônios sexuais.

Cheiro de baunilha, curry e gengibre tem a mesma ação.

Para entendermos melhor como funcionam os afrodisíacos em nosso organismo, irei citar um estudo realizado pela redatora do HowStuffWorks (EUA) e Bacharel em Jornalismo e Propaganda, Lee Ann Obringer.

Introdução


A indústria do "amor" está em crescimento acelerado e apostam em afrodisíacos como itens de grande procura no mercado, e os fabricantes de suplementos vitamínicos também estão entrando em cena. O que costuma faltar é a pesquisa médica para provar que esses "afrodisíacos" funcionam.

Será que determinados alimentos, medicamentos e aromas realmente aumentam o desejo sexual? Milhões de pessoas juram que sim, mas a comprovação científica ainda está sendo discutida.

Agora veremos que tipos de coisas as pessoas consideram como afrodisíacos e se há ou não algum fundamento nisso:

O princípio fundamental

A palavra “afrodisíaco” tem origem no grego aphrodisiakos e faz referência à deusa do amor, da beleza e possuidora de um forte poder sedutor, Afrodite.

Afrodisíacos são agentes químicos ou odores que estimulam ou elevam o desejo sexual.

Desde então muitas pessoas começaram a considerar alimentos, bebidas e até alguns medicamentos como afrodisíacos, ou estimulantes sexuais, desde que ligados à deusa ou que se assemelhassem às partes genitais do corpo humano.

Empresas que produzem medicamentos ou fórmulas que alegam melhorar nossa vida sexual costumam denominar esses suplementos erroneamente de afrodisíacos; para serem verdadeiros afrodisíacos, eles precisam provocar o desejo e não melhorar o desempenho e a capacidade. O Viagra, por exemplo,não é um afrodisíaco.

A química do desejo sexual

Antes que possamos dizer que determinado produto funcione, precisamos entender o que ele teria que fazer para funcionar. No caso dos afrodisíacos: o que acontece no corpo e no cérebro quando estamos sexualmente excitados? Tanto para homens quanto para mulheres, tudo se resume em hormônios, sobretudo a testosterona.

Os níveis de testosterona controlam a excitação sexual tanto em homens quanto em mulheres.

Ou seja, nosso impulso sexual é controlado pelos níveis hormonais, com a testosterona sendo o carro chefe. Se houver desequilíbrio, as coisas não funcionam como deveriam. Quando há equilíbrio, tudo se encaixa perfeitamente.

Uma reação em cadeia tem início quando vemos, ouvimos, sentimos, pensamos, tocamos, cheiramos ou de outro modo nos deparamos com alguma coisa sexualmente estimulante.

O processo é mais ou menos assim: primeiro, os sinais são enviados do lobo límbico do cérebro, através do sistema nervoso, até a região pélvica. Esses sinais fazem com que os vasos sanguíneos se dilatem. Essa dilatação gera a sensação de prazer e excitação e, consequentemente, aumento da frequência cardíaca. Ao mesmo tempo, o cérebro libera noradrenalina e dopamina, neurotransmissores que comunicam ao corpo que essa reação é boa e agradável. Se não tivermos testosterona suficiente, o interesse sexual pode diminuir. Além disso, o estresse, a fadiga e a depressão também podem causar impacto sobre o interesse sexual.

A ação dos afrodisíacos

Especialistas dizem que os afrodisíacos podem funcionar de duas maneiras: há aqueles que geram o desejo sexual atuando na mente e outros que geram o desejo ao agirem sobre determinadas partes do corpo. Por exemplo, uma substância que aumenta o fluxo sanguíneo nos órgãos sexuais pode simular as sensações da relação sexual e ter o efeito de gerar desejo. Da mesma maneira, há coisas que podem fazer com que o corpo produza maior quantidade das substâncias químicas associadas ao desejo sexual.

Uma substância que reduz as inibições na mente, por exemplo, é o álcool, que também pode gerar (ou permitir) o desejo.

Às vezes, apenas o fato de pensar que algo é afrodisíaco faz com que funcione como se o fosse.

Também existem outras que produzem a sensação oposta: reprimem o desejo. São os anafrodisíacos.

Efeitos colaterais inesperados causados por medicamentos

Afrodisíacos com os efeitos mais prováveis são aqueles que foram descobertos quando as pessoas descreveram aumento na atividade sexual como efeito colateral de determinado medicamento. Muitas empresas farmacêuticas estão usando esse efeito colateral inesperado para produzir remédios que tratem da falta de desejo sexual vivenciada por algumas pessoas.

Pesquisa


Pesquisadores estão constatando que certos alimentos, ervas e outros suplementos estimulam a produção de hormônios ou de outras substâncias químicas que influenciam nossa libido. O que eles não sabem é se essas substâncias são produzidas em quantidade suficiente para que possamos notar a diferença. Não há muitas pesquisas comprovadas na área, sobretudo porque a libido é algo difícil de estudar.

Segundo o Food and Drug Administration (FDA), os afrodisíacos não têm fundamento científico e não passam de mitos. Embora talvez essa afirmação seja verdadeira, muitas pessoas acreditam piamente nos efeitos de determinados alimentos, ervas ou minerais.

Para Roberta Silva, nutricionista,

“um prato bem arranjado e apetitoso à percepção de seus odores e a sua degustação tende a gerar um estado de euforia, capaz de conduzir ou resultar em ampliação do desejo sexual. Uma comida gostosa e saudável, preparada com especiarias, pode sim estimular a paixão”. No entanto, a nutricionista questiona se existem realmente alimentos que tenham o poder de despertar estímulos sexuais. Ela afirma que na realidade, não existe nenhuma comprovação científica a respeito desta teoria. O que se sabe é que alguns alimentos possuem nutrientes que auxiliam no bom desempenho sexual ou que, devido ao seu aroma, podem despertar o poder da imaginação. Porém, como não há nada a se perder, talvez consumir alguns alimentos e fazer um bom uso da sua imaginação, possa ter como resultado um bom desempenho sexual, ela finaliza.

Outros tipos de afrodisíacos

Aromas

Aromas têm efeito potente quando se trata de romance. A lembrança do aroma de um parceiro romântico pode nos acompanhar por muito tempo, mesmo depois de o romance acabar - tanto que quando sentimos aquele aroma anos mais tarde somos imediatamente invadidos por sentimentos e lembranças.

Isso quer dizer que os aromas são afrodisíacos?

De certa forma, sim, pois o aroma pode provocar desejos - mas não em um parceiro que não esteja interessado em romance.

Por exemplo, Alan R. Hirsch, MD, diretor de neurologia da Smell and Taste Treatment and Research Foundation em Chicago, realizou um estudo que analisou como aromas distintos estimulavam a excitação sexual. Ele constatou que vários aromas eram eficazes - alguns mais do que outros. O aroma de pizza de queijo, por exemplo, aumentava o fluxo sangüíneo para o pênis em 5%, o de pipoca amanteigada em 9% e o de lavanda e de torta de abóbora em 40% cada. Para mulheres, a lavanda e a torta de abóbora também tiveram efeito estimulante; contudo, o aroma de Good and Plentyandreg - alcaçuz - combinado ao do pepino gerou aumento máximo no fluxo sanguíneo na mulher.

Feromônios humanos, que ainda são respeitados no campo de pesquisa sexual, podem gerar interesse sexual. A palavra "feromônio" vem das palavras gregas phéro e hormônio, e significa "portador de excitação".

No mundo animal, os feromônios são "impressões" aromáticas individuais encontradas na urina ou no suor que determinam o comportamento sexual e atraem o sexo oposto.

Eles ajudam os animais a se identificar e escolher um parceiro com um sistema imune distinto o suficiente do seu para garantir uma prole saudável. Eles têm um órgão especial no focinho denominado vomeronasal (VNO) que detecta essa substância química inodora.

Cientistas do Chemical Senses Center em Filadélfia e seus colegas na França descobriram a existência de feromônios humanos em 1986. Eles os encontraram no suor humano. Além disso, encontrou-se um VNO humano em algumas pessoas, mas não em todas. Mesmo se o VNO não estivesse presente em todos nós - e talvez não funcione em quem o tenha - ainda haveria provas de que o olfato é um aspecto importante do amor (veja a grande expansão do setor de perfumes).

Os pesquisadores realizaram um experimento informal com gêmeos idênticos. Os gêmeos sentaram-se em um bar, certa noite e um deles recebeu um jato de feromônios industrializados. O resultado foi que o gêmeo que recebeu o jato de feromônio foi abordado com uma frequência três vezes maior do que o outro.

Música

Música pode criar um clima ideal para um romance. O que parece ser o elemento mais eficaz da música é a lembrança que associamos a ela. Se temos boas lembranças de dançar colado com alguém que amamos no passado, ao som de uma canção especial, é bem provável que essa mesma canção terá um efeito sobre nós no futuro. Afinal de contas, a dança é um tipo de ritual de acasalamento que a maioria de nós vivencia em algum momento da vida.

Então, será que há algum fundamento nos afrodisíacos ou tudo não passa de um produto de nossa imaginação?

É tudo imaginação?

Alguns dizem que o poder dos afrodisíacos está em nossa imaginação. Ou seja, é um efeito placebo, se achamos que alguma coisa vai criar um clima para ficarmos excitados, é isso que acabará acontecendo.

O afrodisíaco que consumirmos poderá ou não ser o responsável pelo resultado final.

O simples fato de pensar que vai funcionar já é meio caminho andado? A resposta, segundo a maioria das referências, é sim.

Alguns estudos mostram que os agentes que parecem funcionar muito bem em determinada ocasião podem não surtir nenhum efeito em outra, ainda que nas mesmas pessoas. Isso leva a maioria dos cientistas a crer que os afrodisíacos têm efeito maior em nossa imaginação do que em outras partes da anatomia humana.

Afinal de contas, o órgão sexual mais poderoso é o cérebro. Se nossa mente não estiver no lugar certo, nada acontecerá.


Segue abaixo uma lista de alguns alimentos que, segundo especialistas, tem esse poder de sedução e de aumentar a disposição, o ânimo das pessoas!

Açafrão

especiaria vermelho-alaranjada que aumenta os batimentos cardíacos e o suor, sinais de excitação sexual.

Aspargo

é considerado afrodisíaco pelo formato e por conter vitamina B3, que promove dilatação dos vasos sanguíneos, inclusive os vasos dos órgãos genitais.

Canela

além do aroma instigante, o sabor quente atiça não só o paladar.

Chocolate

contém três tipos de estimulantes: alcalóide, teobromina e cafeína, proporcionando bem-estar, força e vitalidade. Era a bebida sagrada dos astecas e estava relacionado à deusa da fertilidade.

Cravos da índia

são, antes de tudo, um excelente digestivo. Seu aroma tem o poder de despertar o desejo.

Nozes

usadas pelos Romanos em rituais de fertilidade e como potencializadoras do desejo para o romance.

Ostras

um dos alimentos mais famosos por seu poder afrodisíaco, deve grande parte da reputação ao ritual de abertura (que remete à vagina) e da sensação ao ser degustado. As ostras são ricas em zinco e ferro, minerais conhecidos pela estimulação do metabolismo e pelo transporte de oxigênio no sangue, respectivamente

Memória fraca

Na luta contra os apagões da memória, o ácido fólico entra em ação.

Para ingerí-lo, recorra ao espinafre, brócolis, feijão, cenoura, abacate, ovo cozido e fígado bovino. Ricos na vitamina que faz parte do complexo B, esses alimentos ajudam na prevenção dos brancos repentinos, já que atuam nas conexões dos neurônios.

A recomendação de consumo diário de ácido fólico é de 800 microgramas. Meia xícara de chá de espinafre cozido, por exemplo, apresenta 132 mcg da vitamina.

Outro combatente da memória fraca é o potássio.

Beber água de coco, comer banana, abacate e cenoura são boas alternativas para encontrar o mineral e dar uma calibrada no raciocínio.

A ingestão diária ideal é de 4.700 miligramas. Uma banana média apresenta 467 mg desse nutriente.

Obesidade

A obesidade é detectada quando o Índice de Massa Corporal (IMC) está maior ou igual a 30.

A doença aumenta o risco para o desenvolvimento de diabetes tipo 2, hipertensão, artrite, doenças do coração, derrame, osteoartrite, colesterol e triglicérides elevados.

O segredo para perder alguns quilinhos é o mesmo para quem precisa perder vários: dieta balanceada aliada a exercícios físicos.

No entanto, pessoas que estejam, no mínimo, 20% acima do peso ideal, devem consultar um especialista antes de dar a largada às atividades físicas e dieta. O tratamento da obesidade, muitas vezes, requer uma equipe multidisciplinar, envolvendo nutricionista, psicólogo, fisioterapeuta, médico e professor de atividade física.

A redução da quantidade calórica da dieta é o início do processo de eliminação de peso. Os hábitos alimentares também são modificados e o paciente precisa de acompanhamento para encarar tais mudanças.

Pressão arterial

É grande o número de pessoas propensas ao desenvolvimento de hipertensão e os hábitos alimentares têm grande influência nisso. Conhecida como assassina silenciosa, a doença não apresenta sintomas e, por isso, muita gente passa anos sem ter conhecimento de que possui pressão sanguínea elevada. Quando não controlada, a pressão alta pode levar ao derrame, ataque cardíaco e falência nos rins. A lista de precauções tomadas através da alimentação é extensa, mas as medidas são simples de serem tomadas. A mais famosa delas é ficar de olho na ingestão de sal. Isso porque o sódio presente no sal de cozinha favorece a retenção hídrica e, consequentemente, aumenta a pressão nos vasos sanguíneos.

A recomendação do mineral é de 1,5 grama, o equivalente a 3,8 gramas de sal de cozinha.

Boa alternativa para diminuir o sal do cardápio diário é substituí-lo por ervas e outros tipos de temperos para preparar os alimentos. Não deixar o saleiro na mesa, durante as refeições, é mais uma tática para quem quer passar longe da hipertensão. Vale ler os rótulos alimentícios também, já que embutidos, enlatados, congelados, sopas em pó, glutamato monosódico apresentam quantidades altas de sódio.

Além do exagero de sódio na alimentação, outro fator predisponente da pressão alta é uma dieta rica em gorduras. Portanto, atente para a participação das gorduras no seu prato. Elas não devem ultrapassar 30% das calorias totais do cardápio diário.

Trocar o leite integral pelo desnatado, escolher iogurtes e outros derivados com baixos teores de gordura, reduzir o consumo de manteiga e margarina, optar pelas versões magras das carnes e substituir os modos de preparos de alimentos que levam muita gordura são medidas eficazes.

A obesidade também está relacionada com o desenvolvimento de hipertensão arterial. Por isso, a fim de reduzir os riscos de aparecimento da pressão alta, o excesso de peso deve ser tratado.

Queda de cabelo

Embora seja formado pela queratina, o cabelo soma outros nutrientes responsáveis pela manutenção de seu estado saudável. Na lista dos colaboradores dos fios brilhosos e do couro cabeludo livre de escamações estão a niacina, a biotina, o zinco e as vitaminas A, B6 e C. Se a queda de cabelo é muito acentuada, ela pode ser decorrência de deficiência de minerais e vitaminas. Vale lembrar que é muito importante buscar ajuda de um dermatologista para avaliar o caso e recomendar o melhor tratamento.

Resfriado

Muito bafafá ronda a vitamina C e seus efeitos contra o resfriado. A verdade é que estudos mostram que o ácido ascórbico é um nutriente capaz de prevenir e amenizar os sintomas do resfriado, como indisposição, dor de cabeça, febre e dores no corpo.

Conte com as frutas cítricas (laranja, limão, abacaxi) para encher o cardápio de vitamina C e abandonar os lencinhos.

A recomendação de ingestão diária é de 125 miligramas para os homens e 110 miligramas para as mulheres. Um copo de suco de laranja natural, por exemplo, contém 94 mg da vitamina. Para aproveitar melhor o nutriente, ingira as frutas ou os sucos logo depois de cortadas ou preparados. Isso impede que o oxigênio do ar oxide a vitamina C.

Ressaca

Para espantar a sede e a latejante dor de cabeça pós bebedeira, o conselho é montar pratos cheios de alimentos ricos em potássio, como salsa, acelga, espinafre, brócolis, couve, cenoura, aipo, melancia, pepino, uva e alface, além de ingerir muita água.

A sensação de boca seca acontece por causa, no primeiro momento, da retenção hídrica e, posteriormente, do efeito diurético, provocado pelos copos de álcool além da conta. O potássio dribla os efeitos do sódio, responsável pelos incômodos da retenção de líquido.

O efeito anti ressaca do potássio acontece de dois modos diferentes. Primeiro, o mineral impede que suas próprias reservas sejam eliminadas durante a diurese. Caso o potássio não entre em ação, o corpo enfrenta dificuldades para absorver os nutrientes dos alimentos, deixando o organismo todo mais lento. O potássio ainda evita a perda de vitamina B6. Sem ela, a capacidade dos rins em despachar o sódio diminui. Se a ressaca já se instalou, evite ingerir alimentos que sobrecarregam o sistema digestório e o fígado, como a gordura. Ela pode estar mascarada em alimentos como molho, tortas, salgadinhos, entre outros.

Menopausa

Boa parte da fama da soja vem dos benefícios que ela proporciona às mulheres que sofrem com os calorões repentinos e muitos outros sintomas que marcam o final da fertilidade.

O grão conta com a presença das isoflavonas em sua composição, um fotoquímico que se comporta como um substituto do estrógeno (hormônio que sofre notável queda no período do climatério) e contribui para a manutenção do equilíbrio hormonal.

Para desfrutar do benefício, o consumo em grãos deve ser de, pelo menos, uma xícara diária. Dá ainda para optar por uma fatia de 30 gramas de tofu ou dois copos de leite de soja

Úlcera

Um cardápio balanceado e variado é essencial para acelerar a cura das úlceras nervosas. Por ser caracterizada por lesões nas paredes do esôfago, estômago ou duodeno, a alimentação entra em cena na hora do tratamento. Lançando mão de um menu balanceado e fazendo, pelo menos, cinco refeições por dia, dá para diminuir a produção de ácido gástrico ou driblar a ação direta na parede do estômago.

Além disso, é fundamental evitar alimentos muito condimentados, bebidas gaseificadas e alcoólicas, café e uma alimentação rica em gorduras, para que os sintomas da úlcera não apareçam. Apesar das reações irritantes variarem de pessoa a pessoa, as frituras, por exemplo, retardam o esvaziamento do estômago do estômago e estimulam a liberação do ácido.

Vale lembrar, no entanto, que o tratamento da úlcera também conta com o uso de antibióticos prescritos por um especialista, o que garante a diminuição ou eliminação da bactéria Helicobacter pylori, que destrói mecanismos de defesa dos órgãos atingidos.

Outros que dizem ser “afrodisíacos”:

FRUTAS:

Amêndoa: Muito usada em cremes, sabonetes e loções para massagens.

Abacate: Uma das frutas mais ricas em vitaminas.

Banana: O seu poder afrodisíaco é mais associado à forma.

Côco: Bastante calórico. Na Índia acredita-se que aumenta a qualidade e a quantidade do sêmen e cura doenças das vias urinárias.

Tâmara: Rica em calorias e vitaminas, altamente energética.

Pêssego, damasco e ameixa: Devido à aparência, são feitas associações às partes íntimas femininas.

Morango e framboesa.

Romã: De origem árabe, são atribuídas a elas poderes afrodisíacos, normalmente associados a cerimónias de fertilidade.

Figo: Através da tradição ficou associado à fertilidade.

Manga: Rica em vitaminas e calorias.

Maçã: Associada ao pecado e à tentação. Os licores de maçã, como o calvados e a sidra, são estimulantes e acredita-se que rejuvenescem.

Marmelo: Tal como a maçã e a romã, é a fruta simbólica de Afrodite.

Pera: A sua forma também é associada ao corpo feminino.

Uva: Sempre associada ao prazer e à fertilidade.

Pistachio: Fruto muito popular em toda a Ásia.

VEGETAIS

Alho: Além de afrodisíaco, são atribuídas a ele muitas qualidades curativas.

Alcachofra: Para alguns, o prazer também está em comê-la com as mãos.

Aipo: Gregos e romanos o utilizavam como afrodisíaco.

Arroz: Simboliza fertilidade.

Agrião: Alguns acreditam ser um estimulante.

Cebola: É considerada afrodisíaca desde a antiguidade.

Cogumelos: Devido talvez à sua aparência lembrar a de um pénis.

Aspargos: Também lembra o pénis.

Espinafre: Rico em vitaminas e minerais.

Grão de bico: Muito consumido pelos árabes.

Milho: Simboliza fertilidade e abundância.

Nabo: Também considerado afrodisíaco.

Pepino: Considerado por alguns como estimulante, para outros, exatamente o contrário.

Pimentão doce / Pimentão picante: Considerado afrodisíaco e utilizado em comidas exóticas.

Alho-porro: Romanos e gregos atribuíam-lhe poderes afrodisíacos.

Tomate: Considerado exótico nos tempos antigos, quando a Europa o importava de países sul-americanos.

Trigo: Representa a fertilidade.

Trufa: A sua reputação como afrodisíaco foi confirmada.

Cenoura: Rica em vitamina A.

CONDIMENTOS

Açafrão: Especiaria vermelho-alaranjada, perfeita no uso com mariscos. Tradicionalmente utilizada em Espanha, em pratos com frutos do mar como a Paella, por exemplo. No Oriente é muito utilizado como estimulante.

Açafrão da Índia: Possui um gosto um pouco amargo. Deve ser usado moderadamente, porque pode encobrir os outros sabores.

Alcaparra: Frutos redondos e pequenos, de sabor muito forte, que acompanha o peixe.

Anis: É uma planta de flores brancas e sementes pequenas e aromáticas. Confeitos, xaropes, essências, temperos e licores podem ser feitos com esse ingrediente.

Baunilha: Tempero indispensável para doces, bolos, sorvetes, cremes, café, chocolate, etc. Vem em estojos (ou cápsulas), extracto ou essência. Se puder escolher, evite a baunilha sintética, de sabor grosseiro e às vezes tóxica.

Borragem: Usa-se para cozinhar carnes e peixes, assim como em saladas...

Canela: Extraída da casca da árvore da canela. É usada em lascas e em pó. Coloca-se em doces mas também em carnes e diferentes tipos de curry, na Ásia e no Oriente Médio.

Cardamomo: Pode ser vendido em sementes, que são moídas para cozinhar, ou em pó, que perde o aroma rapidamente. Nos países árabes é colocado no café para enriquecer o sabor e estimular a benevolência entre os amigos. As sementes são mastigadas para refrescar a boca.

Cominhos: Seu óleo é utilizado em loções balsâmicas e filtros de amor. Na culinária é empregado no tempero de lentilhas e feijões.

Cravo: Usado nas sobremesas, carnes e presunto, para dar um toque especial.

Curry: Não é uma especiaria mas uma mistura de várias especiarias: coentro, cardamomo, pimenta caiena, pimenta, gengibre, canela, sementes de mostarda, açafrão-da-india etc.

Endro: As folhas e sementes são usadas sobretudo no peixe. As sementes, colocadas numa garrafa de óleo ou vinagre , aromatizam delicadamente.

Erva-cidreira: Serve para maionese, receitas com queijo fresco e creme, molhos, saladas e algumas sobremesas de frutas. Usado também como chá para alivio de dores menstruais e indisposições de estomago.

Estragão: Utilizado em carnes. É melhor quando fresco.

Gengibre: Pode ser adquirido em pó, xarope e como raiz fresca. O seu sabor característico é um pouco picante. Muito utilizado na cozinha japonesa, mas também em comidas exóticas e no preparo de sobremesas.

Hortelã: O seu sabor fresco é bastante popular em doces e bebidas. Também é usado em muitos pratos de diferentes origens. Em Inglaterra acompanha o cordeiro, entre os árabes, as carnes variadas.

Lavanda: As sementes aromatizam perfumes e sabonetes. Realçam a sopa, que terá de ser coada antes de servida.

Louro: Na comida o louro é usado em pouca quantidade, só uma folha pequena ou média, porque tem um sabor muito forte, um pouco amargo.

Manjericão: Produz mais efeito quando fresco e é usado nos pratos mais variados.

Mostarda: Pode ser comprado em semente, em pó e preparada.

Noz moscada: É uma noz dura usada para aromatizar doces e sobremesas, mas que também realça o sabor de alguns vegetais, como o espinafre e as carnes suaves.

Orégano: Típico da cozinha mediterrânica, possui aroma e sabor forte.

Pimenta: Picante e ardida, acentua o sabor dos alimentos.

Pimenta caiena: Feita a partir do pimentão vermelho, seco e moído, é a base da paprica, da pimenta em pó, do tabasco e da santaka no Japão. Usa-se em pouca quantidade, para dar cor, sabor e um toque picante.

Salsa: Existem mais de trinta variedades comestíveis. Usa-se em carnes, peixes, saladas, etc. A sua frescura alivia o hálito de cebola ou alho.

Sálvia: Tem aroma muito penetrante e deve ser usada com moderação.
A carne de porco e as aves de caça são bem acompanhadas com esse tempero, que aprimora o sabor.

Tomilho: Utilizado no preparo de vários molhos com vinho tinto. Acompanha as carnes vermelhas e é indispensável nos patês.


SUBSTÂNCIAS:

- marapuana

- catuaba

- guaraná

- ginseng

- pfaffia paniculata

- gengibre

- alho

- cebola

- gergelim

- tahine

CARNES DIFERENTES:

Testículos: Desde há muito tempo, os testículos de alguns animais têm fama de estimulantes. Enquanto na Ásia os preferidos são os de macaco, na América os de touro ganham maior simpatia. Noutras partes do mundo elegem-se os testículos do cordeiro e de bode.

Fígado e rim: O rim do gado bovino ou do cordeiro é um prato habitual em Espanha e em França. Atribui-se a eles o estímulo sexual, graças ao papel fundamental que representam na circulação da energia vital.

Tartaruga: Normalmente preparada como sopa. No Oriente, a carne deste animal é muito apreciada pelas suas virtudes estimulantes, e na Antiguidade era prato obrigatório na corte chinesa.

Caracol: Considerado afrodisíaco devido talvez à sua semelhança com o clitóris.

: A única parte aproveitável são as patas.


FRUTOS DO MAR:

Os moluscos e crustáceos do mar são considerados, dentre os afrodisíacos, os mais poderosos. Na hierarquia, as ostras ganham o papel de prima-dona e os mariscos vêm logo de seguida.

Abalone: Vive numa concha grossa, agarrado às pedras, geralmente em águas frias. É muito usado nas cozinhas chinesa e japonesa.

Ameijoa e mexilhão: Podem ser comidos crus ou com limão, mas o sabor acentua-se quando preparados nas sopas ou cozidos. Também podem ser levemente assados no forno, nas suas conchas, com queijo parmesão ralado, pimenta e umas gotas de vinho branco.

Vieira: Usualmente é vendida limpa e pronta para cozinhar.

Lula e polvo: Deliciosos. Exigem uma certa técnica de cozedura, pois podem ficar duros como borracha.

Camarão, lagostim, caranguejo, lagosta e outros crustáceos: São saborosos, decorativos e muito afrodisíacos. Fáceis de preparar.

Ouriços-do-mar: Considerados mais afrodisíaco do que as ostras.

Ostras: Consideradas o melhor da comida afrodisíaca. Comidas cruas com limão.


OVOS:

Pela associação com a fertilidade, os ovos fazem parte do cardápio erótico de todas as nacionalidades. A eles são atribuídos poderes afrodisíacos e reconstituintes.

Ovos de codornis: Pequeninos, sempre fizeram parte do cardápio afrodisíaco.

Caviar: Ovas extraídas do peixe esturjão, tem total aceitação como afrodisíaco.

BEBIDAS:

Café: Excitante por conter cafeína, um alcalóide de efeito poderoso. É consumido em várias partes do mundo, principalmente no Brasil e Portugal.

Chá: Bastante consumido em Inglaterra desde o século XVIII até aos dias de hoje. Também popular na Índia, misturado com especiarias e no Japão.

Chocolate: Era a bebida sagrada dos astecas e estava relacionado com a deusa da fertilidade, Xachiquetzal. De sabor muito agradável, vicia e excita por conter o alcalóide teobromina entre os seus componentes.

Mel: A primeira bebida alcoólica surgida na humanidade foi o hidromel, vinho doce feito de mel, usado na Europa até o século XVIII.

Mais elaborado foi o Alkuhul, o espírito do vinho desenvolvido pelos árabes através do processo da destilação.

A reputação do mel como afrodisíaco é enorme. Riquíssimo em vitaminas R, C e minerais do pólen, estimula a produção de hormonas sexuais. Além de ser saboreado puro, é usado na preparação de doces mesclados com nozes, côco, ovos, especiarias etc.

Após esta listagem, cabe a cada um de vós saber conjugar e criar os vossos pratos, segredos culinários e, quem sabe, ficarem famosos por algum preparo especial...

Fontes: MedicinaeAlimentação, MinhaVida e HowStuffWorks.


No homem, o desejo gera o amor. Na mulher, o amor gera o desejo. (Jonathan Swift)

Nenhum comentário:

Postar um comentário